Empresas espanholas expõem situação na A.Latina

Madri, 15 fev (EFE).- Diretores das grandes empresas espanholas com investimentos na América Latina comparecerão no Senado da Espanha durante os próximos meses para avaliar a situação e a segurança jurídica de seus negócios nos diferentes países, e propor medidas para enfrentar o atual cenário de crise.

EFE |

Os membros da conferência que estudará o papel das empresas na América Latina definirão na próxima semana o calendário dos comparecentes, entre os quais também estarão representantes da Confederação Espanhola de Organizações Empresariais (CEOE) e das câmaras de comércio.

Este grupo de trabalho, criado em dezembro do ano passado, definiu um prazo de um ano para redigir um relatório a partir das explicações dos empresários e fazer recomendações, a fim de consolidar a presença de seus investimentos na América Latina.

O Partido Popular pedirá que compareçam, em primeiro lugar, os responsáveis da patronal e das câmaras de comércio, e depois os diretores das sete principais companhias na região ibero-americana: Santander, BBVA, Telefónica, Endesa, Repsol YPF, Iberdrola e Unión Fenosa.

Em seguida, solicitará a presença das construtoras, das operadoras turísticas e do setor editorial, informou à Agência Efe o porta-voz da legenda, Dionisio García Carnero.

García disse que a crise econômica e os "episódios de insegurança jurídica" ocorridos nos últimos anos em países como Venezuela, Argentina, Bolívia e Equador são razões suficientes para analisar a situação empresarial na região com mais investimentos espanhóis.

A porta-voz do Partido Socialista, Emelina Fernández, antecipou à Efe que seu grupo também pedirá os comparecimentos de diretores das dez principais empresas, para ter uma visão detalhada de todos os setores. EFE cpg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG