Empresário que recrutava meninas para festas de Berlusconi teme por sua vida

Roma, 11 set (EFE).- O empresário italiano Giampaolo Tarantini, que supostamente recrutava jovens para as festas organizadas pelo primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, teme por sua vida depois da publicação de suas declarações perante o Tribunal de Bari (sul da Itália) em vários periódicos italianos.

EFE |

Segundo publicam hoje os meios de comunicação italianos, Tarantini assegura ter medo por sua integridade pessoal e a de sua família em um texto apresentado por seu advogado, Nicola Quaranta, ao promotor que conduz a investigação de seu caso, Antonio Laudati.

O empresário também assegura que, em caso que receba ameaças contra sua vida, solicitará a proteção da Polícia, como fazem os antigos membros da máfia que colaboram com a justiça.

Tarantini especifica que a publicação, anteontem, nos diários "Corriere della Sera" e "La Stampa", das transcrições dos interrogatórios a que foi submetido lhe causaram "um dano devastador", tanto porque põe em xeque sua discrição e a das pessoas de seu entorno, como porque poderia prejudicá-lo judicialmente.

Neste sentido, Tarantini afirma que, se as pessoas que citou em sua declaração souberem de antemão qual é seu relato dos fatos, podem construir uma versão falsa dos mesmos para prejudicá-lo.

Giampaolo Tarantini é acusado dos delitos de "venda de drogas, formação de quadrilha e favorecimento da prostituição". EFE if/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG