Empresa pagará US$ 5 milhões a Woody Allen por uso indevido de imagem

Nova York, 18 mai (EFE).- A cadeia de lojas de roupas American Apparel pagará US$ 5 milhões de indenização ao cineasta americano Woody Allen por ter utilizado a imagem deste sem permissão em uma de suas campanhas publicitárias, em acordo firmado hoje após uma disputa judicial que já durava um ano.

EFE |

Allen e os representantes da American Apparel compareceram hoje diante de um juiz federal de Nova York para definir a situação.

Ao sair do tribunal, o cineasta explicou que a quantia era a maior prevista pela lei de direito à privacidade do estado de Nova York, diz o jornal "The Wall Street Journal" em sua edição digital.

"Um júri poderia ter me dado mais dinheiro, mas não vivo disso e US$ 5 milhões são suficientes para dissuadir a American Apparel ou qualquer outro de tentar de novo", disse Allen, de 72 anos, em comunicado sobre o acordo. Ele pediu inicialmente US$ 10 milhões de indenização.

A empresa utilizou uma imagem de Allen no filme "Noivo Neurótico, Noiva Nervosa" (1977), na qual aparece vestido como um judeu ortodoxo, acompanhado das palavras "o rabino sagrado" em iídiche e o nome da empresa, a maior fabricante de roupas dos Estados Unidos.

Antes do julgamento, Stuart Slotnick, advogado do criador e diretor da American Apparel, Dov Charney, disse à imprensa nova-iorquina que Allen "superestimou enormemente o valor de sua inclusão em um anúncio" com o argumento de que sua popularidade caiu "por causa dos escândalos aos quais esteve ligado".

Desta forma, Slotnick fazia alusão ao romance secreto que o cineasta teve com Soon Yi, filha adotiva de sua ex-namorada Mia Farrow, entre outras polêmicas ligadas a sua relação com as duas.

Os advogados do diretor garantiram que a American Apparel "não buscou e muito menos obteve a permissão ou o consentimento de Woody Allen" para o uso de sua imagem. EFE emm/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG