Empresa na Espanha proíbe funcionários de reclamar no trabalho

A companhia municipal de limpeza de Huelva, no sul da Espanha, lançou uma norma para seus funcionários proibindo-os de reclamar no trabalho. A empresa explica que as queixas criam um clima negativo, e avisou que quem for pego protestando será sancionado.

BBC Brasil |

A nova regra, que surpreendeu os quase 1,5 mil funcionários públicos do município aparece num folheto de duas páginas com frases como: "Em lugar de reclamar, lembre que você deveria estar agradecido por ter emprego".

Baseados em instruções de livros de auto-ajuda, a Prefeitura lançou a campanha com três normas básicas chamadas de "ferramentas para não reclamar".

A primeira é a "técnica positiva" onde aparecem pensamentos como: "Tenho que me esforçar a cada dia para manter um emprego digno que permita sustentar minha família".

Ou ainda: "Se é chato sair de casa, pegar engarrafamento e não gosto do que faço, lembro que há uma crise lá fora e muita gente gostaria de estar no meu lugar".

O segundo capítulo é evitar manter a atenção no que desagrada. "Concentre-se no que pode fazer melhor em vez de pensar no que tem que realizar, porque com a queixa sem fundamento você se concentra estupidamente nos problemas".

A última parte propõe ao trabalhador que "transforme as reclamações em soluções práticas".

Sindicato
As cópias dos folhetos distribuídos a cada funcionário no dia 28 de novembro foram parar no Sindicato Andaluz de Trabalhadores, que estuda um recurso legal contra a Prefeitura.

Para a funcionária Consuelo Barea, que denunciou a campanha ao sindicato e à imprensa, a nova norma "é uma ameaça explícita".

"A partir de agora qualquer abuso vai ficar por isso mesmo. Tem gente que vai ter que passar da hora, fazer mais do que deve, ouvir barbaridades calado... tudo com medo de reclamar", disse ela à BBC Brasil.

O presidente do sindicato, Diego Cañamero, acredita que a proibição de reclamar está longe de ser um método para criar clima positivo no trabalho.

"É fácil de imaginar por que uma empresa proíbe um empregado de reclamar. Preferem trabalhadores submissos e mudos, aguentando qualquer coisa. Quem vai abrir a boca com o medo de ir para a rua?", indagou.

"Este conceito de clima positivo é falso. As frases que recomendam ao trabalhador lembrar que poderia estar desempregado são ameaças claríssimas", afirmou Cañamero à BBC Brasil.

Best-seller
O folheto municipal avisa que o desrespeito à nova regra acarreta sanções, mas não especifica quais podem ser.

O vice-secretário de Assuntos Sociais da Prefeitura de Huelva, Alfonso Barroso, disse à BBC Brasil que a campanha "provavelmente foi mal interpretada pelos trabalhadores".

"O objetivo é 100% positivo! O método psicológico é simples, eficaz, está comprovado e apenas pretende criar uma atitude positiva no ambiente de trabalho."
Barroso explicou que a campanha está baseada principalmente no best-seller americano The No Complaining Rule, do escritor Jon Gordon.

O livro indica, com supostos casos reais, que a negatividade de empregados que reclamam no trabalho pode arrasar a motivação geral de um grupo.

A positividade, por outro lado, é capaz, segundo o autor, de levantar a moral de uma empresa em tempos de crise.

Apesar de confiar na eficácia das novas regras, o vice-secretário disse que a Prefeitura está disposta a "melhorar a campanha para que a mensagem chegue melhor, porque não há intenção de ofender os trabalhadores".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG