Empresa de Murdoch pagará indenização a 36 vítimas de grampos

Ator Jude Law e jogador de futebol Ashley Cole estão entre indivíduos que chegaram a acordo com a empresa News International

iG São Paulo |

A empresa do magnata Rubert Murdoch concordou nesta quinta-feira em pagar indenização a 36 vítimas do escândalo de escutas telefônicas do tabloide britânico News of the World . Entre os que serão indenizados estão o ator Jude Law , o jogador de futebol Ashley Cole e o ex-vice-premiê britânico John Prescott.

Leia também: Entenda o escândalo de grampos do tabloide News of the World

Getty Images
O ator Jude Law, uma das vítimas do escândalo de grampos do News of The World

O valor pago variou em cada caso. Law vai receber 130 mil libras (cerca de R$ 354 mil), Prescott receberá 40 mil libras (R$ 109 mil), enquanto a quantia a ser paga para Cole não foi divulgada. Pelo acordo, todos concordam em encerrar processos judiciais contra o extinto tabloide.

Os processos foram movidos contra a News Group Newspapers (NGN), uma subsidiária da News International, braço britânico da News Corp de Murdoch .

Nesta quinta-feira, a empresa admitiu que o News of the World publicou 16 reportagens sobre Jude Law entre 2003 e 2006 que foram feitas com auxílio de grampos telefônicos.

O ator afirmou que o caso lhe causou “estresse, falta de confiança e suspeitas”.

Law foi um dos 60 indivíduos que processou a News Group Newspapers por causa dos grampos. Entre os outros casos que chegaram a acordo estão os dos ex-ministro Cris Bryant e Tessa Jowell, da ex-modelo Abi Titmuss, e de um amigo do príncipe William, Guy Pelly.

Apesar de mais da metade dos processos terem chegado a acordo, estima-se que o News of the World tenha monitorado centenas de pessoas. O advogado Mark Lewis, que representa grande parte das vítimas do escândalo, diz que a luta contra Murdoch não acabou. “É muito cedo para comemorar’, afirmou.

Outras vítimas já tinham entrado em acordo com a empresa, incluindo a atriz Sienna Miller e os pais da adolescente Milly Dowler, cujo telefone foi grampeado enquanto ela estava desaparecida.

O caso das escutas, que levou à detenção de dezenas de funcionários do News of the World e ao fechamento do jornal em julho passado, motivou a abertura de investigações sobre crimes e sobre a ética da imprensa britânica.

Outra investigação busca determinar se o News of the World monitorou computadores. Segundo a imprensa britânica, a polícia encontrou indícios de que detetives particulares a serviço de jornais britânicos invadiram a conta de email do ex-primeiro-ministro Gordon Brown.

No ano passado, a imprensa britânica divulgou que a polícia também tinha encontrado indícios de que hackers monitoravam o ex-ministro britânico para a Irlanda do Norte Peter Hain, integrante do antigo governo trabalhista entre 2005 e 2007.

Com AP e BBC

    Leia tudo sobre: news of the worldreino unidogramposmurdoch

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG