Empresa aérea elimina colete salva-vidas dos vôos

Uma companhia aérea do Canadá está removendo os coletes salva-vidas de todos os seus aviões para diminuir o peso da aeronave e reduzir seus gastos com combustíveis. A empresa regional Jazz disse que regras governamentais permitem o uso de outros equipamentos para flutuação se o avião permanecer a uma distância máxima de 80 km da costa.

BBC Brasil |

Os passageiros serão instruídos a usar as almofadas de seus assentos para flutuar em caso de necessidade.

A porta-voz da Jazz, Manon Stuart, disse que a companhia costumava ter à bordo tanto a almofada para flutuação quanto o colete salva-vidas. "A natureza de nossas operações não exige que tenhamos ambos."
A Jazz não faz nenhuma rota que sobrevoe oceanos, mas passa sobre os Grandes Lagos e perto da costa leste do Canadá.

Segundo Stuart, só duas rotas dentro dos 85 destinos de seus vôos em toda a América do Norte foram ajustadas para se adequar ao limite de 80 Km.

'Lucro'
A iniciativa atraiu muitas críticas. Um político de Newfoundland, Woody French, disse que os passageiros da Jazz estão são secundários em relação ao lucro da companhia e anunciou que vai fazer um protesto junto ao Ministério dos Transportes.

"Eles vão poupar 23 quilos. Tirar 23 quilos não vai fazer muita diferença no consumo de combustível", afirmou.

Muitas companhias aéreas estão cortando gastos para enfrentar condições difíceis de mercado.

Na quinta-feira, a companhia transatlântica de vôos de baixo custo, Zoom Airlines, que tem 450 funcionários no Canadá, disse que está suspendendo suas operações. Segundo a Zoom, o aumento do preço dos combustíveis elevou seus custos operacionais em US$ 50 milhões durante o último ano.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG