Empire State passa por reformas para reduzir emissões poluentes

Nova York, 6 abr (EFE).- Os proprietários do emblemático e famoso Empire State de Nova York anunciaram hoje que decidiram realizar um programa de reformas que transforme em verde o famoso arranha-céus e, assim, se some à luta contra a mudança climática.

EFE |

Para isso, implementaram um projeto cuja primeira parte será concluída em 2010, dotado com US$ 500 milhões e que reduzirá em 38% o consumo energético do prédio, que possui uma das melhores vistas da cidade.

O anúncio foi feito hoje pelo prefeito da cidade, Michael Bloomberg, e o ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton, que, através da iniciativa que leva seu nome, destacou que, mais uma vez, o Empire State lidera um projeto que procura reduzir as emissões poluentes e poupar energia.

Clinton considerou o projeto como uma "magnífica oportunidade" de contribuir à luta contra a mudança climática neste momento difícil para a economia, já que, com essa remodelação, "economiza-se dinheiro e energia".

O ex-presidente lembrou que este e outros projetos fazem parte da iniciativa que leva seu nome e que se desenvolve em 40 das maiores cidades do mundo em favor do meio ambiente.

"Com estes projetos inovadores, além de proteger o planeta, reativa-se a economia", afirmou Clinton.

O famoso arranha-céu volta, assim, a chamar atenção.

"As emissões poluentes dos edifícios comerciais e residenciais das cidades são muito grandes, e, no caso de Nova York, chegam até 70%", afirmou o representante da empresa proprietária do Empire, Anthony Malkin.

Ele acrescentou que, embora agora a maioria dos novos edifícios seja construída respeitando "o meio ambiente, a chave para obter progressos substanciais está em reduzir os custos energéticos e de emissões poluentes dos que já estão construídos".

Para conseguir o objetivo desta obra de remodelação, que começou em 2008, está sendo reciclado todo o material eliminado do edifício e estão sendo usados artigos de limpeza e de controle de pragas que são ecológicos. EFE emm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG