Emocionada, Ingrid Betancourt reencontra os filhos na Colômbia

Por Luis Jaime Acosta BOGOTÁ (Reuters) - A ex-candidata presidencial colombiana Ingrid Betancourt teve um reencontro emocionado nesta quinta-feira com seus dois filhos adolescentes, após passar seis anos sequestrada na selva sob poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Reuters |

O encontro ocorreu um dia depois de Ingrid ter sido resgatada numa operação cinematográfica pelo Exército colombiano. Num aeroporto de Bogotá, ela se uniu em abraços e lágrimas a Melanie e Lorenzo Delloye, que chegaram à capital colombiana vindos de Paris em um avião do governo francês, em companhia do chanceler da França, Bernard Kouchner.

A política franco-colombiana, de 46 anos, foi resgatada sem ferimentos numa operação em que não se disparou nenhum tiro.

Com ela foram libertados mais três norte-americanos e 11 membros das Forças Armadas, em um forte golpe contra a guerrilha de esquerda.

Sorridente e vestida de preto, Betancourt subiu ao avião e abraçou os filhos, que moram em Paris. Depois de alguns minutos, os três desceram da aeronave.

'Quero compartilhar hoje com todos vocês esta sorte de ter meus filhos comigo depois de não os ver havia sete anos', disse a política, que desde seu sequestro em fevereiro de 2002 passou a ser considerada a refém mais importante em mãos do grupo guerrilheiro.

A libertação de Ingrid Betancourt, depois que a guerrilha foi enganada e permitiu o traslado dos 15 reféns em um helicóptero que não sabia ser do Exército, foi um triunfo para a inflexível política de segurança do presidente colombiano, Álvaro Uribe, apoiada por Washington.

RAZÃO DE VIVER

'Dou graças a Deus por este momento tão belo e agradeço a todos vocês por compartilhá-lo conosco. Estes são meus filhinhos, meu orgulho, minha razão de viver, minha luz, minha lua, minhas estrelas', disse Ingrid com a voz embargada pelo choro.

O único contato que os dois adolescentes tiveram com a mãe nos últimos anos foi por rádio, pela qual lhe enviavam mensagens e lhe contavam suas atividades acadêmicas e familiares.

O resgate de Betancourt e dos norte-americanos Keith Stansell, Marc Gonsalves e Thomas Howes, assim como dos membros das Forças Armadas foi resultado da 'Operação Jaque (Xeque)' na qual o Exército infiltrou pessoas na guerrilha e a enganou com um grupo que se fez passar por integrantes de uma organização humanitária fictícia.

Segundo analistas, a operação debilitou ainda mais a guerrilha mais antiga da América, que no último ano perdeu cinco de seus principais comandantes em operações militares, incluindo seu 'chanceler', Raúl Reyes, ao mesmo tempo que centenas de seus membros desertaram.

As Farc também perderam em março seu fundador e líder máximo, Manuel Marulanda, que morreu de ataque cardíaco.

Com o resgate de Betancourt e os três norte-americanos, os quais estavam sequestrados havia cinco anos, as Farc também ficaram sem poder de pressão na hora de negociar.

Os libertados eram considerados os reféns mais valiosos em poder do grupo rebelde, que diz lutar para impor um sistema socialista na Colômbia, que tem cerca de 45 milhões de habitantes.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG