Emissora chinesa cobre homenagem a mortos em protesto, mas omite tema

Hong Kong, 9 jun (EFE).- A rede de televisão chinesa CFTV cobriu pela primeira vez a vigília de 4 de junho em Hong Kong, em memória aos mortos na repressão aos protestos da Praça da Paz Celestial, em 1989, mas disse se tratar de um evento em homenagem às vítimas do devastador terremoto que atingiu a província chinesa de Sichuan em 12 de maio.

EFE |

Quarenta mil pessoas se reuniram em Hong Kong, em 4 de junho, para manter viva a memória dos estudantes e civis mortos pelo Exército chinês há 19 anos na Praça da Paz Celestial, em Pequim, onde pediam reformas governamentais.

No entanto, a "CFTV" assinalou, em sua cobertura, que os manifestantes reunidos "rezaram e cantaram pelos milhares de falecidos no terremoto que atingiu a região de Sichuan em 12 de maio".

A vigília realizada no Parque Vitória de Hong Kong efetivamente lembrou os falecidos em decorrência da catástrofe natural, mas a razão principal da concentração seguiu sendo a memória dos mortos na Praça da Paz Celestial em 1989.

No entanto, a rede de televisão chinesa omitiu qualquer referência a estes fatos.

Segundo a descrição da "CFTV", "a vigília durou cerca de duas horas, e incluiu recitais, cantos, um momento de silêncio e a deposição de uma coroa em homenagem aos mártires", sem explicar quem seriam os "mártires" homenageados.

"A vigília expressou o luto dos cidadãos de Hong Kong por seus compatriotas, Os organizadores disseram que mais de 48 mil pessoas compareceram ao evento. A multidão poderia encher 5 campos de futebol", afirmou a "CFTV". EFE mch/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG