Emissários do Itamaraty discutem Itaipu em Assunção

Assunção, 1 fev (EFE).- Representantes do Itamaraty se reuniram hoje com membros do Governo em Assunção para discutir alguns pontos do acordo que triplicaria os ganhos do Paraguai com a concessão ao Brasil do excedente de sua produção energética em Itaipu.

EFE |

O secretário-geral do Ministério das Relações Exteriores, Antonio Patriota, conversou com o chanceler paraguaio, Héctor Lacognata, sobre o documento assinado em 25 de julho pelos presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Lugo.

Segundo Lacognata, a reunião se centrou no amplo acordo bilateral assinado pelos dois presidentes em Assunção e que prevê também a possibilidade de que o Paraguai negocie diretamente no setor elétrico brasileiro o excedente de sua parcela em Itaipu ou o venda a outros países.

O aumento da compensação ao Paraguai, que deverá receber cerca de US$ 360 milhões anuais em vez dos US$ 120 milhões que ganha hoje, requer a aprovação do Congresso brasileiro.

O tratado constitutivo da represa, construída nos tempos de ditadura militar em ambos os países, estabelece que cada nação tem direito a 50% da energia e que a parte não utilizada deve ser vendida ao sócio a preço de custo.

O Paraguai abastece quase todas as suas necessidades com apenas 5% da eletricidade gerada por Itaipu.

"Minha presença aqui em Assunção com Antonio Simões (subsecretário de Assuntos de América do Sul do Itamaraty) é uma indicação do nosso compromisso para seguir os contatos em todos os níveis", afirmou, por sua vez, Patriota, que se reunirá também com o presidente paraguaio.

A reunião contou também com a presença do vice-chanceler paraguaio, Jorge Lara Castro, e do novo diretor paraguaio de Itaipu, Gustavo Codas, ex-assessor de Lugo em assuntos internacionais. EFE lb/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG