Emissário de Obama diz que solução para Afeganistão não é batalha

Islamabad, 14 jan (EFE).- O enviado especial dos Estados Unidos Richard Holbrooke disse hoje no Paquistão que o conflito no Afeganistão não será resolvido no campo de batalha e apostou no impulso à reintegração dos talibãs moderados na sociedade.

EFE |

"Esta não é uma guerra que vai acabar no campo de batalha. Não haverá uma rendição incondicional. A etapa final chegará quando os talibãs já não estiverem lutando nem tentando impor sua visão e a da Al Qaeda", declarou Holbrooke à imprensa.

O diplomata americano, enviado especial dos EUA para Afeganistão e Paquistão, disse que a postura atual de Washington está "mais perto da reintegração" dos talibãs moderados que de uma "reconciliação" com eles.

De acordo com ele, a ideia dos EUA é criar um plano viável que dê a oportunidade de conseguir trabalhos, terra e segurança às pessoas que lutam junto aos talibãs, mas que não estão comprometidas. "A análise é de que a maioria dos talibãs não acredita na Al Qaeda nem na cúpula do movimento talibã", ressaltou.

O enviado americano evitou fazer comentários sobre a possibilidade de o Paquistão atuar como mediador com os talibãs afegãos e se limitou a dizer que "o diálogo terá que ser dirigido pelo Governo do Afeganistão".

Durante a visita ao Paquistão, que começou na terça-feira, Holbrooke se reuniu com o primeiro-ministro paquistanês, Yousuf Raza Gillani, e outros membros da cúpula civil e militar, e amanhã fechará sua estadia no país com um encontro com o presidente, Asif Alí Zardari. EFE igb/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG