Abu Dhabi, 14 ago (EFE) - O Ministério de Exteriores dos Emirados Árabes Unidos qualificou hoje de ilegal a recente abertura de dois escritórios iranianos na ilha de Abu Moussa, no Golfo Pérsico, palco de uma longa disputa entre o país e o Irã.

Fontes do Ministério de Exteriores árabe reagiam a notícias divulgadas recentemente pela televisão estatal iraniana sobre a abertura, por parte da República Islâmica, de um escritório para o resgate marítimo e outro para o registro dos navios na ilha de Abu Moussa.

As fontes, citadas pela imprensa local árabe, insistem em que a situação em Abu Moussa ainda está regida pelo acordo de entendimento que foi assinado em 1971 pelos Emirados Árabes Unidos e o Irã, e que - em sua opinião - não outorga o domínio da ilha ao Irã.

A disputa pelas ilhas de Tonb Maior, Tonb Menor e Abu Moussa, na entrada do Golfo Pérsico e de especial importância estratégica para a navegação nessa via marítima, remonta a 1971, quando o Irã ocupou os arquipélagos depois que o Reino Unido deixou a região.

Na época, o então Xá do Irã, Mohammed Reza Pahlevi, assinou um acordo segundo o qual Abu Moussa ficava sob administração conjunta do Irã e do emirado de Sharjah -um dos sete que formam a federação dos Emirados Árabes - durante 20 anos.

No começo da década passada, quando expirou o acordo, as tropas iranianas controlaram a ilha de Abu Moussa, um fato condenado por todos os membros dos Emirados na Liga Árabe, que pediram uma solução negociada ou através do Tribunal Internacional de Haia.

As fontes árabes consideram ainda a construção dos escritórios iranianos como uma "violação clara" do acordo de 1971, que pode criar obstáculos ao desenvolvimento das relações bilaterais. EFE ms/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.