Emirados anulam dívida do Iraque e nomeiam embaixador em Bagdá

Os Emirados Árabes Unidos anularam a dívida do Iraque estimada em sete bilhões de dólares e nomearam um embaixador em Bagdá, dois gestos de solidariedade que coroaram o início da visita do primeiro-ministro iraquiano, Nouri Al-Maliki a Abu Dhabi.

AFP |

"O cancelamento da dívida testemunha a solidariedade entre nossos dois países e visa ajudar o governo iraquiano a se engajar na reconstrução", declarou o presidente dos Emirados, o xeque Khalifa ben Zayed Al-Nahyane, durante seu encontro com Maliki, segundo a agência oficial Wam.

Os Emirados anularam a dívida iraquiana e seu juros, calculados em "pouco menos de 7 bilhões de dólares" por uma fonte oficial em Abu Dhabi.

Khalifa espera que esta medida "alivie os encargos financeiros do governo iraquiano e afirmou que seu país não hesitará em apoiar moral e materialmente o Iraque".

Maliki se disse satisfeito com o gesto dos Emirados, que destacou, "ajudará as finanças iraquianas e o processo de restabelecimento da segurança e da estabilidade no país".

O premier pediu diversas vezes em conferências internacionais o cancelamento da dívida do Iraque e das sanções da época do regime de Saddam Hussein.

A estabilidade é essencial para o renascimento do Iraque, afirmou o presidente dos Emirados, notando, segundo a agência Wam, uma melhora da segurança no país.

Ele pediu ajuda para o Iraque, para atingir este objetivo, ressaltando que o Estado dos Emirados, consciente da necessidade de relançar o Iraque em seu contexto árabe, tomou a iniciativa de reabrir sua embaixada em Bagdá.

Um mês após ter tomado esta decisão, anunciada durante uma visita a Bagdá de seu chefe de diplomacia, xeque Abdallah ben Zayed Al-Nahyane, os Emirados anunciaram a nomeação de um embaixador na capital iraquiana.

"O Conselho dos ministros aprovou durante reunião neste domingo em Abu Dhabi a nomeação de Abdallah Ibrahim al-Shehi para o cargo de embaixador em Bagdá e o governo iraquiano concordou", declarou a fonte à AFP.

Shehi é atualmente o embaixador dos Emirados em Nova Délhi.

Esta iniciativa foi comemorada pelas autoridades de Bagdá como um "novo ponto de partida" para as relações do Iraque com os países árabes.

Os árabes não têm embaixadores na capital iraquiana por causa do clima de insegurança dos últimos meses. Os escritórios árabes de representação no país no entanto ainda estão abertos.

bur/mh/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG