Embarcações das Coreias trocam tiros na fronteira

Um navio de guerra sul-coreano se envolveu em uma troca de tiros nesta terça-feira com uma embarcação norte-coreana, segundo afirmaram fontes dos dois países. Esta foi a primeira troca de tiros entre embarcações na fronteira entre os dois países rivais desde 2002.

BBC Brasil |

Autoridades em Seul disseram que a embarcação sul-coreana abriu fogo depois de o navio norte-coreano cruzar a fronteira marítima em disputa pelos dois países.

O navio da Coreia do Norte respondeu ao ataque com mais tiros.

A Coreia do Norte afirmou que seu navio não cruzou a fronteira e exigiu um pedido de desculpas do governo sul-coreano, segundo a agência de notícias norte-coreana KCNA.

O governo sul-coreano também exigiu um pedido de desculpas.

Visita de Obama
Na última década, as Marinhas dos dois países já se envolveram em duas trocas de tiros com mortos na fronteira marítima ao oeste.

O incidente desta terça-feira ocorre dias antes de uma visita do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, à Ásia, na qual ele deve discutir a questão do programa nuclear norte-coreano.

Para alguns analistas, o incidente pode ser uma mensagem do governo norte-coreano para Obama.

A Coreia do Norte quer estabelecer um diálogo bilateral com os Estados Unidos, que preferem o envolvimento de outros países no diálogo.

'Provocação'
Segundo a versão da Coreia do Norte, um barco de patrulha estava em uma missão para verificar um "objeto não identificado" no lado norte da fronteira e estava navegando de volta rumo ao norte quando foi seguido por uma embarcação sul-coreana que abriu fogo em "uma grave provocação armada".

O navio norte-coreano "não perdeu tempo em retaliar o ataque dos provocadores", segundo a KCNA.

Autoridades sul-coreanas disseram que nenhum de seus militares ficou ferido no incidente.

A embarcação norte-coreana foi incendiada, mas não havia informações sobre possíveis vítimas.

Tensões
Em outubro, a Marinha da Coreia do Norte acusou o governo sul-coreano de enviar navios de guerra através da fronteira dos dois países para elevar as tensões e advertiu que novas incursões seriam retaliadas.

As autoridades do regime comunista norte-coreano afirmam que em apenas um dia, a fronteira foi cruzada dez vezes.

A Coreia do Sul reconhece a linha de fronteira estabelecida unilateralmente pelo comando conjunto dos Estados Unidos e das Nações Unidas em 1953 após o fim dos combates na Guerra da Coreia, mas que nunca foi aceita pela Coreia do Norte.

Em 1999, um navio da Coreia do Norte foi afundado e várias embarcações de ambos os países foram danificadas durante uma troca de tiros na fronteira.

Em 2002, quatro marinheiros sul-coreanos e cerca de 30 norte-coreanos foram mortos em uma batalha de 20 minutos na região.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG