Embaixador venezuelano na OEA critica defesa de Insulza a Obama

Caracas, 20 jan (EFE).- O embaixador venezuelano na Organização dos Estados Americanos (OEA), Roy Chaderton, qualificou hoje de patética a afirmação do secretário-geral do organismo, José Miguel Insulza, de que críticas do presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, ao Governo de Caracas não buscam briga.

EFE |

"As palavras do secretário-geral da Organização dos Estados Americanos, José Miguel Insulza, sobre uma polêmica bilateral entre o Governo venezuelano e a Administração americana só podem ser qualificadas de patéticas e desrespeitosas", disse Chaderton, segundo um comunicado da Chancelaria.

Na segunda-feira, Insulza afirmou que declarações recentes de Obama sobre o presidente venezuelano, Hugo Chávez, não buscam "briga" com o líder da Venezuela.

Chávez criticou afirmações de Obama nas quais o acusou de ser "uma força que interrompeu o progresso na região" e de "exportar atividades terroristas", e destacou que seu Governo responderá e se fará "respeitar".

"É uma briga de apenas um lado", disse Insulza, que ressaltou que não se pode esquecer que Chávez está agora em campanha ao referendo sobre a emenda para instaurar a reeleição ilimitada, que o governante promove para poder concorrer em 2012, pela terceira vez consecutiva, à Presidência.

Segundo Chaderton, o fato de o secretário-geral da OEA ter descrito como afirmações de "caráter geral declarações mentirosas" sobre a Venezuela "revelam sua intenção de banalizar a difamação contra um país membro" da organização.

Insulza mantém uma atitude "submissa" e busca "se intrometer em favor de uma coroa imperial com expressões laudatórias dignas dos tempos em que a OEA era vista como o Ministério de Colônias dos Estados Unidos", afirmou. EFE gf/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG