Embaixador paquistanês é libertado após três meses de seqüestro

Islamabad, 17 mai (EFE) - O embaixador paquistanês no Afeganistão, Tariq Azizuddin, foi libertado esta manhã e voltou para casa depois de passar mais de três meses em cativeiro nas mãos de seqüestradores. Não houve negociações com os seqüestradores. Sua libertação é resultado da ação das forças de segurança paquistanesas, disse o conselheiro de Interior, Rehman Malik, que acompanhou Azizuddin em seu primeiro pronunciamento à imprensa após ser libertado.

EFE |

O embaixador foi seqüestrado em fevereiro por supostos talibãs, junto com seu motorista e seu guarda-costas, quando tentava atravessar de carro a fronteira entre Paquistão e Afeganistão.

Em uma entrevista à rede de televisão paquistanesa "Dawn", Azizuddin afirmou que durante todo o tempo que durou seu seqüestro esteve na região tribal do país, que faz fronteira com o Afeganistão, preso em um lugar escuro e com pouco acesso à comida.

Durante o período em cativeiro, Azizuddin disse não ter sido torturado, mas foi agredido algumas vezes.

"Eles disseram que queriam fazer reivindicações junto ao Governo e que me consideravam uma pessoa influente e rica", disse o embaixador paquistanês.

Malik ressaltou que a libertação do diplomata não faz parte do processo de troca de prisioneiros com talibãs locais, iniciado essa semana pelo Exército.

Foram libertados 55 insurgentes em troca de 18 membros das forças de segurança paquistanesas desde a última quarta-feira, quando teve início uma nova estratégia do Governo de dialogar com militantes que decidirem deixar as armas. EFE igb/rr/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG