Manágua, 19 jun (EFE).- O embaixador do Irã na Nicarágua, Akbar Esmaeil-Pour, disse hoje em Manágua que protestar nas ruas não é uma maneira democrática, em alusão aos atos registrados no país, após a polêmica vitória eleitoral do atual presidente, Mahmoud Ahmadinejad.

"Sair pelas ruas não é uma maneira democrática. É preciso saber protestar, digamos, respeitando as leis", afirmou o diplomata a um veículo de comunicação afim ao Governo de Daniel Ortega.

Esmaeil-Pour afirmou que em Teerã há uma Constituição Política "muito moderna, muito tolerante e muito precisa", que estabelece a forma de proceder legalmente se ocorrem "algumas irregularidades", seja em eleições presidenciais ou outras.

"Ali está a lei, mas alguns candidatos perdedores não (o) fizeram assim, infelizmente", afirmou.

O Irã vivencia uma semana de manifestações grandes e distúrbios entre as Forças de Segurança - apoiadas por milicianos islâmicos Basij- e a oposição, que denuncia que houve fraude nas eleições presidenciais realizadas na sexta-feira.

De acordo com fontes oficiais, pelo menos oito pessoas morreram nos confrontos, mas outras notícias afirmam que o número é maior.

Os seguidores do líder opositor iraniano, Mir Hussein Moussavi, impugnaram os resultados oficiais, que atribuem a vitória a Ahmadinejad.

O embaixador iraniano em Manágua acusou "algumas potências" europeias e os Estados Unidos de "se aproveitarem" da "distração" de um dos candidatos derrotados, em alusão a Moussavi, e de seus seguidores, para intervir nos assuntos internos do Irã e causar o caos no país. EFE lfp/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.