O embaixador americano em Cabul, no Afeganistão, escreveu uma mensagem à Casa Branca expressando sua oposição ao envio de milhares de soldados para reforçar as tropas que já estão em território afegão.


Na mensagem privada vazada para a imprensa, Karl Eikenberry afirmou que o governo do presidente afegão Hamid Karzai precisa provar que vai enfrentar a corrupção no país e que enviar mais tropas ao país "não é uma boa ideia" no momento.

Eikenberry enviou a mensagem na última semana, segundo informações dos jornais americanos The Washington Post e The New York Times.

As declarações do embaixador colocam Eikenberry - um ex-comandante militar americano no Afeganistão - em divergência com os demais comandantes americanos no país, que querem reforços para as tropas dos Estados Unidos.

Advertência da Casa Branca

A mensagem não teria agradado o atual comandante das tropas americanas no país, general Stanley McChrystal, um dos favoráveis ao aumento do contingente militar.

Entretanto, uma declaração divulgada na tarde de quarta-feira pela Casa Branca parece refletir algumas das preocupações do embaixador.

"O presidente (Barack Obama) acredita que precisamos deixar claro ao governo afegão que nosso compromisso não por tempo indeterminado. Depois de anos de investimentos substanciais do povo americano, a governança no Afeganistão deve melhorar em um período razoável."

Hamid Karzai foi declarado na semana passada vencedor das eleições presidenciais afegãs, que foram marcadas pelas acusações de fraude.

Reunião

Na quarta-feira, o presidente Barack Obama realizou a oitava reunião para discutir a questão de enviar ou não mais dezenas de milhares de soldados para enfrentar o Talebã no Afeganistão.

Nesta última reunião, o governo Obama teria analisado várias opções, incluindo o envio de outros 40 mil soldados, a opção que conta com o apoio do general Stanley McChrystal.

Outras possibilidades analisadas seriam o envio de 30 mil soldados, de 20 mil ou então um reforço de entre 10 mil e 15 mil soldados.

O porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, disse que Obama deve anunciar em algumas semanas sua decisão sobre o reforço do contingente militar no Afeganistão.

Atualmente, os Estados Unidos têm cerca de 68 mil soldados no país, como parte da coalizão formada por mais de cem mil militares de vários países.


Leia mais sobre Afeganistão

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.