Embaixador diz que Moscou intervirá em caso de conflito entre separatistas

Moscou, 5 ago (EFE).- O embaixador russo para missões especiais Yili Popov afirmou hoje que Moscou intervirá em caso do início de um conflito armado entre os separatistas da Ossétia e da Geórgia.

EFE |

"Caso os eventos se desenvolvam segundo o roteiro de força mais sombrio, a Rússia não pode se permitir permanecer impassível, considerando que na Ossétia do Sul, incluída a região do conflito, vivem cidadãos da Federação Russa", declarou o diplomata à agência "Interfax".

Popov, co-presidente da Comissão Mista de Controle (CMC), que supervisiona os acordos de cessar-fogo na região do conflito, afirmou que em Moscou "há muita preocupação pelo que ocorre em torno da Ossétia do Sul e por suas possíveis conseqüências".

A CMC, integrada por representantes de Rússia, Geórgia, Ossétia do Sul e Ossétia do Norte, foi o mecanismo estabelecido em 1992 para supervisionar o cumprimento dos acordos de cessar-fogo após dois anos de ações armadas, que levaram à morte de mais de 2 mil mortos e provocaram o êxodo de milhares de refugiados.

A Ossétia do Sul, assim como outra região georgiana, a Abkházia, se separou de fato da Geórgia, e proclama sua aspiração de se unir à república russa da Ossétia do Norte.

Segundo as autoridades da Geórgia, tanto os separatistas da Ossétia como os da Abkházia contam com o apoio político, econômico e militar da Rússia, à qual Tbilisi acusa de realizar uma política de anexação soterrada de ambas regiões por meio da concessão de cidadania a seus habitantes.

O diplomata russo antecipou que na próxima quinta será realizada uma reunião entre representantes da Ossétia do Sul e da Geórgia e expressou sua esperança de que as partes cheguem a um compromisso que permita diminuir o nível de tensão. EFE bsi/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG