Embaixador diz que haverá aprofundamento de relações entre Brasil e Equador

Quito, 15 jan (EFE).- O embaixador brasileiro no Equador, Antonino Marques, afirmou que o Brasil aprofundará os canais comuns com o Governo equatoriano após seu retorno a Quito, após o conflito diplomático pelo pedido do Equador de uma arbitragem internacional ante um crédito brasileiro.

EFE |

"Minha presença aqui, como sempre e como qualquer representante diplomático, é para seguir identificando e aprofundando os canais e laços institucionais e diplomáticos de comunicação e diálogo, para ampliar os pontos e as decisões comuns", declarou Marques em entrevista publicada hoje pelo jornal "El Comercio".

Ele reiterou que o "Equador e o Brasil são dois países com uma história comum muito grande, de visões comuns do mundo" e que "compartilham valores de paz, progresso e inclusão social".

Segundo o embaixador brasileiro, sua chamada para consultas em novembro, após o Equador decidir levar um crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social do Brasil (BNDES) para uma arbitragem internacional, "resultou muito positiva".

"Estes dois meses foram muito importantes para ver onde estamos e como podemos progredir" nas relações bilaterais, declarou após afirmar que "é fundamental para os dois países e para que os países da região mantenham fortes e sólidos os canais de financiamento".

No dia 21 de novembro o Brasil chamou para consultas seu embaixador no Equador após a decisão do Governo de Rafael Correa de submeter a uma arbitragem na Câmara de Comércio internacional de Paris uma dívida com o BNDES.

A entidade brasileira concedeu um crédito de US$ 286 milhões para financiar a construção da usina hidroelétrica de San Francisco, a cargo da Odebrecht.

A obra, que foi inaugurada em meados de 2007, deixou de funcionar aproximadamente um ano depois por causa de falhas estruturais em sua construção, o que levou o Governo do Equador a expulsar a empresa brasileira e pedir a arbitragem para desconhecer o crédito do BNDES.

Diante da pergunta de se as diferenças entre os dois países já estão superadas, Marques afirmou que "se pode dizer que as relações são tradicional e historicamente muito boas e estou aqui para garantir que continuem progredindo".

Segundo Marques, as relações entre os dois países seguirão se aprofundando "para que todos os pontos comuns, que são inumeráveis, se transformem sempre em fatos concretos de aproximação".

O embaixador explicou que o Equador e Brasil têm mais de 30 acordos de cooperação "que englobam um universo muito grande", em áreas como a cooperação social, educacional, econômica, científica e tecnológica, o que o levou a afirmar que "o campo é fértil e favorável para o estabelecimento das novas linhas de cooperação".

EFE ic/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG