O embaixador de Cuba em Honduras, Juan Carlos Hernandez, declarou ter sido brevemente detido e espancado por militares neste domingo, quando tentava proteger a ministra hondurenha das Relações Exteriores, Patricia Rodas.

Rodas e outros sete ministros de Honduras foram detidos pouco após a expulsão, pela manhã, do presidente Manuel Zelaya para a Costa Rica.

"Recebi várias coronhadas de fuzil, fui empurrado e maltratado para sair e largar meu telefone celular", relatou Hernandez em Tegucigalpa.

Com a ajuda de seus colegas de Nicarágua e Venezuela, dois países aliados de Zelaya, o embaixador cubano tentava utilizar sua imunidade diplomática para proteger Rodas, quando um major ordenou à ministra que o seguisse.

Como ela se recusou a acatar a ordem, uma dezena de militares encapuzados e armados com fuzis invadiram o recinto e prenderam Rodas e Hernandez.

Ambos foram levados para a base das forças aéreas hondurenhas onde, segundo o embaixador, os militares arrancaram o telefone celular de sua mão quando estava ligando para o ministro cubano das Relações Exteriores. Eles o levaram em seguida ao aeroporto civil, onde foi libertado.

cd/yw

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.