Quito, 19 jan (EFE).- O embaixador brasileiro em Quito, Antonino Marques, foi recebido hoje pelo ministro equatoriano de Relações Exteriores, Fander Falconí, ao retornar à capital do Equador, após ser chamado para consultas pelo Governo Federal devido a uma crise entre os dois países.

Após uma reunião de aproximadamente uma hora, Falconí declarou aos jornalistas que ambos analisaram a cooperação entre os dois países e a relação bilateral, após o presidente equatoriano, Rafael Correa, ter submetido à Câmara de Comércio internacional de Paris uma dívida de seu Governo com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

A alegação de Correa para não pagar a dívida de US$ 286 milhões é de a central hidroelétrica San Francisco, construída pela empreiteira brasileira Odebrecht em 2007, com financiamento desta verba pelo BNDES, parou de funcionar.

No entanto, o chanceler equatoriano afirmou hoje que "nunca se disse que não vai se pagar o empréstimo com o BNDES e no caso da arbitragem, isto seguirá seus mecanismos que estão plenamente contemplados no direito internacional".

Por sua parte, Marques afirmou que "o processo (de arbitragem) é uma decisão do Governo do Equador que vai continuar nos trâmites correspondentes" e que "o Brasil não opina em decisões de países soberanos, irmãos como é o Equador de utilizar esta via; esta é uma decisão equatoriana". EFE ic/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.