Embaixador americano prevê que fim das Farc está próximo

Bogotá, 18 ago (EFE).- O embaixador dos Estados Unidos na Colômbia, William Brownfield, afirmou que acha que está próximo o fim das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) hoje do que há dez anos e reiterou que, das bases colombianas, Washington combaterá o tráfico de drogas e o terrorismo.

EFE |

"Ninguém ou quase ninguém aceita a mensagem das Farc. E se não há apoio da comunidade colombiana, eventualmente as Farc têm que desaparecer", disse o diplomata em entrevista à edição digital do jornal "El Tiempo".

Brownfield acrescentou que o fim das Farc pode ser através de um "processo negociado, por um processo gradual militar, ou por sua atomização, ou seja, sua divisão em grupos criminosos", informou.

O embaixador manifestou seu otimismo porque cedo ou tarde o país se verá livre das Farc, mas esclareceu: "Não tenho bola de cristal para dizer como este drama terminará, mas posso dizer que sou mais otimista hoje que há dez anos com que a Colômbia vai ver a conclusão do drama das Farc".

Ele também qualificou isso como uma "boa notícia para a Colômbia", e recomendou baixar o tom "belicista" em que se mantêm as relações diplomáticas entre Colômbia com Equador e Venezuela.

Brownfield reiterou que os Estados Unidos operarão a partir de pelo menos sete bases colombianas apenas para combater o tráfico de drogas e o terrorismo, e não para agredir os países vizinhos.

Em entrevista ao jornal econômico "La República", Brownfield expressou seu otimismo quanto a que o Tratado de Livre-Comércio (TLC), assinado entre as duas nações, pode, inclusive, ser aprovado no Congresso dos Estados Unidos antes do fim do ano.

Ele admitiu que os temas relacionados com a proteção a sindicalistas e os direitos humanos fazem com que o tratado não avance rapidamente em sua aprovação. EFE ocm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG