Embaixadas da UE pedirão que Paquistão revise segurança após ataque a hotel

Islamabad, 22 set (EFE).- As embaixadas da União Européia (UE) em Islamabad decidiram hoje exigir ao Governo do Paquistão que revise e reforce as medidas de segurança em torno de suas delegações, por causa do ataque suicida do sábado que destruiu o hotel Marriott, informou à Agência Efe uma fonte diplomática.

EFE |

Em reunião na capital paquistanesa, os embaixadores da UE coincidiram em afirmar que "o atentado contra o Marriott é uma situação nova, um importante salto qualitativo em questão de ameaça" e que a segurança pode ser melhorada, segundo a fonte.

Acrescentou que os reunidos decidiram a necessidade de implementar medidas, como aumentar a proteção com muros, utilizar filmes antibombas ou aumentar o pessoal de segurança.

Muitas das delegações estrangeiras ficam no "enclave diplomático" da capital, uma zona amuralhada e cercada por um forte esquema de segurança, que, segundo pediu hoje a diplomacia européia, deve ser "reforçado".

"Estamos há tempos transferindo ao Governo estas preocupações.

Nos próximos dias, a exigência chegará ao mais alto nível das autoridades paquistanesas, ao mesmo tempo em que, no marco da ONU, haverá uma agenda de contatos com o Paquistão para discutir questões de segurança", ressaltou a fonte diplomática.

Explicou que a UE não decidiu iniciar a retirada das famílias do pessoal das embaixadas, mas discutiu esta possibilidade.

"Cada Estado-membro vai agir em função de suas considerações e prioridades. No entanto, diante dos empregados que vierem no futuro, é provável que sejam aplicadas certas restrições", disse. EFE igb/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG