Embaixada: Não há brasileiros entre vítimas de tremor no Japão

Terremoto de 8,9 graus de magnitude - o 7° maior da história mundial - provoca destruição em dezenas de cidades e vilarejos

iG São Paulo |

A Embaixada do Brasil no Japão informou que, por enquanto, não há brasileiros entre as vítimas do terremoto que atingiu o país nesta sexta-feira. Segundo a assessoria da representação diplomática, a maior parte dos 270 mil brasileiros que vivem em território japonês mora na região sul e os tremores ocorreram no norte.

A embaixada informou que mantém o alerta e o atendimento às famílias e aos brasileiros que estão no país. De acordo com a assessoria, o embaixador do Brasil no Japão, Marcos Bezerra Abott Galvão, está em contato permanente com a comunidade brasileira e recebeu apoio das autoridades japonesas.

Logo após o terremoto, Galvão recebeu um telefonema do Ministério das Relações Exteriores do Japão, que se colocou à disposição do governo brasileiro.

O terremoto de 8,9 graus de magnitude atingiu a costa nordeste do Japão, provocando um tsunami em cidades na região norte do país. De acordo com o Instituto de Geofísica dos Estados Unidos (USGS), trata-se do maior tremor já registrado no Japão e o 7° maior da história mundial.

Já foram registrados mais de 30 tremores secundários no país, a maioria de 6 graus de magnitude, e um alerta de tsunami está vigente para todo o Oceano Pacífico, incluindo Chile, Canadá, Alasca, Indonésia, Rússia, Nova Zelândia, Filipinas e toda a costa oeste dos Estados Unidos.

Dezenas de cidades e vilarejos foram afetadas pelos tremores, e no norte do país ondas gigantes levaram barcos, casas, carros e pessoas, além de provocar incêndios.

Em Tóquio, os trens e o metrô pararam de circular, milhares de pessoas evacuaram os prédios no centro da cidade e os telefones celulares pararam de funcionar. Pelo menos quatro mil edifícios estão sem energia.

Em Sendai, a água inundou o aeroporto e as pistas ficaram cheias de carros, caminhões, ônibus e lama. Na cidade de Chiba, um incêndio de grande proporções que ainda não foi controlado atingiu uma refinaria de petróleo.

Incêndios também estão acontecendo em uma usina nuclear em Miyagi, no nordeste do Japão. Segundo a empresa Tohoku Eletric Power, responsável pela usina, o fogo atinge um prédio separado do reator e não houve nenhum tipo de vazamento de material radioativo.

Anel de fogo

Até hoje, o mais forte terremoto do Japão tinha acontecido em 1933. Com 8,1 graus de magnitude, o tremor atingiu a região metropolitana de Tóquio e matou mais de 3 mil pessoas.

Os tremores de terra são comuns no Japão, um dos países com mais atividades sísmicas do mundo, já que está localizado no chamado "anel de fogo do Pacífico".

O país é atingido por cerca de 20% de todos os terremotos de magnitude superior a 6 que acontecem em todo o planeta.

Com Agência Brasil, AP, EFE e BBC

    Leia tudo sobre: terremotojapãotremortsunamibrasileiros

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG