Embaixada dos EUA se recusa a comentar asilo a ex-ministro processado na Bolívia

O embaixador dos Estados Unidos, Philip Goldberg, recusou-se a comentar o suposto asilo político concedido por Washington ao ex-ministro da Defesa Carlos Sánchez Berzaín, processado na Bolívia por genocídio, o que foi motivo de manifestações populares realizadas nesta segunda-feira em La Paz.

AFP |

"Não posso falar do caso porque é um assunto administrativo-legal nos Estados Unidos e isso me impede de tocar no assunto", declarou Goldberg à imprensa local.

O diplomata limitou-se a confirmar que "recebemos um pedido de extradição e vamos analisá-lo".

"Estou disponível sempre para falar com o chanceler de La Paz (David Choquehuanca) sobre qualquer tema", disse.

Sánchez Berzaín, que fugiu para Miami em 2003 junto ao ex-presidente Gonzalo Sánchez de Lozada, abandonando seus cargos em meio a uma rebelião popular, declarou na quinta-feira, por telefone, à imprensa local que "sou um asilado há mais de um ano, porque sou um perseguido político".

A suposta decisão de conceder asilo a Sanchéz Berzaín provocou nesta segunda-feira um grande protesto em El Alto, cenário da rebelião contra o ex-ministro.

rb/fb/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG