Embaixada dos EUA apelará contra prisão de pastor na Rússia

Moscou, 22 abr (EFE).- A Embaixada dos Estados Unidos em Moscou expressou hoje sua profunda decepção pela condenação à prisão ditada contra um pastor americano e anunciou sua intenção de pedir uma revisão da sentença ou uma redução da pena.

EFE |

"Estamos profundamente decepcionados com o veredicto e preocupados com o fato de o senhor Phillip Miles continuar preso na Rússia", declarou hoje o porta-voz do departamento de imprensa da missão diplomática, citado pela agência "Interfax".

Ele afirmou que a "Embaixada dos EUA em Moscou levará o caso do senhor Miles às autoridades russas para apoiar a apelação ou uma redução da pena".

Na última segunda o sacerdote foi condenado a três anos e dois meses de prisão por entrar ilegalmente na Rússia com uma caixa com 20 cartuchos para armas de caça.

Miles, de 57 anos, foi acusado pelo tribunal de contrabando e de portar munição ilegalmente.

O sacerdote afirmou que não tinha declarado na alfândega russa os cartuchos por desconhecer as leis no país e confessou que comprou os cartuchos para uma espingarda Winchester como presente para um amigo sacerdote de Perm (Urais).

No entanto, o tribunal alegou que o desconhecimento por parte do acusado das leis russas não o eximia de culpa.

"A condenação a três anos e dois meses de prisão é uma sentença severa demais para o que foi um equívoco, como reconheceu o senhor Miles", declarou o porta-voz.

"A Embaixada dos EUA oferecerá ao senhor Miles toda a ajuda consular necessária como a qualquer outro cidadão americano", acrescentou.

Miles, que foi detido em 3 de fevereiro no aeroporto de Sheremetyevo, na capital russa, lamentou o episódio e chamou a condenação de "severa" e adiantou que recorrerá.

O advogado do pastor, Vladimir Ryakhovsky, disse que se seu cliente conhecesse as leis teria comprado os cartuchos em Perm.

"Nos supermercados dos Estados Unidos uma caixa de cartuchos custa US$ 25", disse, e criticou o fato de que não consta na informação aduaneira em inglês a proibição de entrar com munição em território russo.

Miles, pastor protestante na Carolina do Sul, tinha visitado várias vezes seu amigo, com quem compartilha o gosto pela caça. EFE egw/ev/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG