Embaixada americana em Beirute confirma desaparecimento de jornalistas

Beirute, 8 out (EFE).- A embaixada dos Estados Unidos em Beirute confirmou hoje o desaparecimento de dois jornalistas americanos que trabalhavam para um jornal jordaniano e não são vistos desde 1º de outubro, quando estavam no Líbano.

EFE |

Segundo nota da embaixada, a famílias de Holli Chmela e de Taylor Luck, os dois desaparecidos, pediram a ajuda dos cidadãos libaneses para encontrá-los.

"Pedimos ajuda para obter informações do paradeiro da sra. Holli Chmela, de 27 anos, e do sr. Taylor Luck, de 23, de que não temos notícias desde 1º de outubro quando saíram de Beirute para Biblos e Trípoli (ambas no Líbano)", solicitaram as famílias no texto.

O comunicado acrescentou que ambos chegaram de férias ao Líbano em 29 de setembro, procedentes de Amã, capital da Jordânia.

Em 1º de outubro, ambos informaram a um amigo que viajariam nesse mesmo dia de Beirute a Trípoli, no norte do país, via Biblos.

Depois, previam passar pela Síria na volta à Jordânia, onde voltariam a trabalhar no dia 4, segundo o comunicado.

Anteriormente, fontes de segurança libanesas haviam dito à agência Efe que os jovens saíram de seu hotel em Beirute em 30 de setembro, e desde então, desapareceram e não respondiam às ligações a seus telefones celulares.

O hotel onde eles estavam fica no bairro comercial de Al Hamra, no centro de Beirute.

Segundo o jornal libanês "Al Ajbar", os desaparecidos trabalhavam para o diário jordaniano "Jordan Times" - publicado em inglês -, cuja redação, em Amã, afirmou não ter informações sobre eles.

Na nota, a embaixada americana acrescentou que está colaborando com as Forças de Segurança Interior e com a Segurança Nacional libanesa nas investigações, assim como com as embaixadas dos EUA em Damasco, capital da Síria, e em Amã. EFE ks/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG