E-mails pedem a embaixadas europeias no Irã que abriguem manifestantes

Várias embaixadas no Irã receberam e-mails com pedidos para que abram as portas aos manifestantes da oposição, para que possam ter um refúgio, apesar de nenhum pedido de asilo ter sido confirmado até o momento.

AFP |

"Vários e-mails que nos pedem a abertura das portas aos manifestantes foram enviados no sábado a nossa embaixada no Irã a partir da Suécia, mas não é uma avalanche", afirmou à AFP a diretora de comunicação da chancelaria sueca, Cecilia Julin.

"Receber refugiados requer uma decisão política e hoje em dia não podemos dar asilo no território da embaixada", afirmou Julin.

"Se esta decisão for tomada, seria um gesto muito forte em relação ao governo iraniano", destacou.

"Não sei de onde vinham os e-mails, mas ninguém se apresentou para pedir asilo", declarou à AFP uma funcionária da chancelaria finlandesa, Anssi Leino.

"Nossa embaixada, como muitas outras, recebe mensagens de particulares mobilizados por redes sociais, mas os pedidos não são solicitações concretas no país", afirmou uma fonte da chancelaria francesa.

A diplomacia austríaca admitiu ter sido contactada por organizações não governamentais, mas destacou que nenhuma pessoa ferida ou em busca de asilo se apresentou à embaixada, informação similar à divulgada pela embaixada da Dinamarca.

Pelo menos 10 pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas em Teerã no sábado, segundo a imprensa oficial, no oitavo dia de protestos contra a reeleição do presidente Mahmud Ahmadinejad.

    Leia tudo sobre: ahmadinejadirãmahmud ahmadinejadprotestos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG