E-mail é usado para ajudar médicos iraquianos durante tratamentos

LONDRES - Quando uma jovem iraquiana desenvolveu complicações fatais durante sua gravidez no ano passado, o remédio veio de uma fonte pouco comum: um e-mail.

AP |

Temendo que tivessem que abortar o bebê para salvar a mãe, os médicos pediram ajuda ao Fundo de Caridade Swinfen, um grupo beneficente britânico que conecta médicos de nações em guerra com especialistas ocidentais usando a internet.

Os médicos iraquianos enviaram um e-mail com detalhes da condição de sua paciente à instituição, que encaminhou a questão a um especialista britânico e um anestesista espanhol que fazem parte da sua equipe de voluntários.

"Depois de duas semanas e meia tínhamos uma mãe e um bebê saudáveis", disse Lord Swinfen, fundador da instituição juntamente com sua mulher. "Impressionante o que alguns emails e imagens digitais podem fazer".

Desde 1998, o Fundo de Caridade Swinfen trabalha em todo o mundo, da Antártida às Ilhas Solomon, com mais de 380 médicos ocidentais cooperando com serviços gratuitamente para ajudar médicos com menos opções.

A instituição usa uma versão básica da telemedicina. Os médicos recebem uma câmera digital e enviam imagens, o histórico do paciente e outros materiais relevantes, como exames de raio-x, por email. Então a dúvida é encaminha a médicos voluntários, que respondem em menos de dois dias.

Leia mais sobre e-mail

    Leia tudo sobre: emailiraque

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG