Em tempos de crise, russos utilizam receitas caseiras para poupar

Ignacio Ortega. Moscou, 22 dez (EFE) - Os russos, que ainda têm na memória os anos da escassez vividos na antiga União Soviética, tiraram do baú um manual de receitas caseiras para economizar em tempos de crise. Essas fórmulas podem ser utilizadas em cada aspecto da vida cotidiana, seja no banheiro, na cozinha, ao lavar a roupa ou limpar a casa e nos momentos de lazer. Nunca as esqueci. As crises na Rússia estão sempre virando a esquina, disse à Agência Efe uma professora de teatro de 55 anos.

EFE |

Os russos são especialistas quando se trata de viver com o mínimo, já que, há apenas dez anos, a moratória transformou as economias de uma vida inteira em nada em questão de dias.

Para começar, as pessoas devem deixar de lado por um tempo o xampu para os cabelos e o sabonete líquido, artigos cujos preços obrigam a população a retirá-los do carrinho de compras, já que, para isso, existe o sabonete.

Os cabelos brancos têm fácil solução, e não é preciso recorrer à farmácia: a pessoa pode pintá-los com uma tintura de camomila ou com outra feita de nozes colhidas em um parque.

No entanto, o método mais simples é cozinhar a pele de várias cebolas, filtrar o líquido resultante e acrescentar glicerina (cinco gramas para cada 100 mililitros), segundo a revista "Vlast".

A crise torna-se ainda mais evidente durante o duro inverno russo, quando o uso de bastante roupa, como casaco e gorro, vira imprescindível.

Aqueles que só dispõem de um par de sapatos para o inverno, ao chegar em casa, devem enchê-los com qualquer grão recém-aquecido para que este absorva a umidade, e, com isso, a pessoa poderá usá-los no dia seguinte sem medo de sentir frio nos pés.

Caso o frio seja extremo, algo comum neste país entre dezembro e abril, a dica é aplicar óleo nas pernas e cobri-las com páginas de revistas não muito grossas.

"Só os ricos podem dormir tranqüilos, nós nunca", diz a professora de teatro.

Embora a idéia não seja descuidar da saúde, as pessoas devem recorrer o menos possível à farmácia, só em caso de os remédios caseiros de água com sal, soda e limão para dor de garganta não surtirem o efeito desejado.

O mesmo se pode dizer do nariz entupido: um par de dente de alho nos orifícios nasais aliviará a congestão em questão de minutos, da mesma forma que aspirar pedaços de cebola.

Para tirar as manchas, uma solução de sabão e uma escova devem ser suficientes; caso contrário, será necessário recorrer ao vinagre e à acetona, um pouco mais desagradáveis ao tato.

As gravatas podem ficar limpas sendo mergulhadas em uma bacia de gasolina pura e, duas horas depois, a mancha terá desaparecido.

A aparentemente inútil serragem da madeira é muito útil para limpar as manchas nos caríssimos artigos de pele.

A lavagem da roupa em tempos de crise também tem um aliado natural: a mostarda, ideal para lavar camisas e jaquetas.

O líquido que se extrai do cozimento do feijão também é muito útil para essas roupas.

As tarefas de limpeza da casa têm outro amigo inesperado, a vodca, que, utilizada junto com a água, pode servir para deixar as janelas brilhando.

O melhor método para tirar as manchas amareladas do vaso sanitário é o ácido clorídrico, embora seja preciso ter muito cuidado para não se queimar.

Na cozinha, a parte da casa na qual mais há manchas, use sal para limpar as bocas do fogão, esfregando-as com jornais velhos.

O lazer também está descartado, já que é um luxo supérfluo, especialmente em Moscou, a cidade mais cara do mundo, segundo o Banco Mundial (BM).

Uma evidência de que os russos levam a crise a sério é que, pela primeira vez em muito tempo, em novembro houve uma estagnação do crescimento dos depósitos bancários.

Apesar do aumento do nível de vida dos últimos anos, na Rússia há 45 milhões de pobres, em sua maioria concentrados no campo.EFE io/ab/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG