WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e o presidente da Rússia, Dmitry Medvedev, concordaram sobre a necessidade de pôr fim às flutuações nas relações entre os dois países em um telefonema na segunda-feira, informou a Casa Branca nesta terça-feira.


O ministro do Exterior russo, Sergei Lavrov, dissera mais cedo que espera que os dois líderes mantenham conversações bilaterais durante a reunião de cúpula do Grupo dos 20 em Londres, em abril.

"O presidente Obama e o presidente Medvedev falaram sobre a importância de parar com as flutuações nas relações EUA-Rússia e sobre a construção de uma agenda importante para suas relações bilaterais", disse o comunicado da Casa Branca.

A declaração ressaltou o reconhecimento pela Casa Branca de que as relações entre os dois países se deterioraram nos anos recentes sob o governo do antecessor de Obama, George W. Bush, e do ex-presidente russo, Vladimir Putin.

Um comunicado do serviço de imprensa do Kremlin sobre o mesmo telefonema disse que os dois lados concordaram em fazer "tudo o que estiver em seu poder para restaurar as relações russo-americanas ao seu potencial completo."

As relações entre Rússia e EUA estiveram estremecidas por causa dos planos dos EUA de construir um escudo antimíssil na Europa do Leste, medida à qual a Rússia se opõe fortemente, e por causa da guerra da Rússia contra a Geórgia, país aliado dos EUA.

"Os presidentes concordaram que, como são ambos líderes novos vindos de uma geração pós-Guerra Fria, eles tiêm uma oportunidade única para estabelecer um tipo fundamentalmente diferente de relacionamento entre os dois países", disse a Casa Branca.

O comunicado afirmou que Obama também salientou a importância da cooperação entre as principais potências econômicas do mundo para combater a crise econômica global.

Leia mais sobre Barack Obama

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.