Em Roma, um em cada cinco falta ao trabalho por medo de terremoto

Sismólogo amador teria feito previsão de tremor de grande magnitude na capital italiana para o dia 11 de maio de 2011

EFE |

Uma em cada cinco moradores de Roma não compareceu nesta quarta-feira ao trabalho por medo de que se cumprisse a profecia do sismólogo amador Raffaelle Benandi, que anunciava um terremoto de grande magnitude na cidade em 11 de maio de 2011.

Apesar dos especialistas terem insistido que esse prognóstico não possuía nenhum fundamento científico, a Associação de Direitos dos Usuários e os Consumidores (Aduc) constatou que 20% dos moradores da capital italiana abandonaram a cidade para passar o dia longe do núcleo urbano.

AP
Loja em Roma fechada nesta quarta-feira por ‘problemas pessoais’, segundo placa colocada na entrada
O Instituto Italiano de Geofísica e Vulcanologia informou que, desde a noite desta terça-feira, foram registrados 25 terremotos na Itália (todos de magnitude leve), embora a maioria tenha acontecido na região do vulcão Etna, na Sicília, e nenhum foi registrado na região do Lácio, à qual pertence a capital italiana.

Paola Lagorio, presidente da Associação La Bendandiana, que reúne o legado do italiano Bendandi, explicou nesta terça-feira em um programa do canal de TV italiano RAI que a história do terremoto de 11 de maio de 2011 é "uma fraude" e que não foi prevista pelo sismólogo italiano. "É uma notícia totalmente inventada, obra de alguém que sabe que a única pessoa crível na Itália para uma previsão desse tipo é Bendandi. Atribuindo-a ele, se torna crível", afirmou.

Segundo a presidente da associação, as únicas previsões sísmicas feitas por Bendandi são para 6 de abril de 2521, data na qual, segundo suas previsões e estudos, a situação planetária pode causar terremotos de grande intensidade na Terra. As mesmas condições voltariam a se repetir, segundo o sismólogo autodidata, em 2721.

Fuga

Apesar das advertências, "hotéis e complexos turísticos situados nos arredores de Roma registraram um número incomum de reservas para hoje durante os últimos dias", referiu a Aduc em uma nota. Também foi registrada nesta quarta-feira uma ausência maior de estudantes nas escolas romanas e 15% dos funcionários públicos pediram folga para este 11 de maio.

Muitas das lojas da região central da praça Vittorio e ruas adjacentes, a maioria dirigidas por chineses, não abriram suas portas ao público alegando fechamento por balanço ou por motivos de saúde, embora a imprensa tenha ressaltado que por trás de suas decisões está o medo do possível tremor em Roma.

A sede do instituto de Geofísica e Vulcanologia permaneceu aberta durante o dia todo para atender aos cidadãos e registrou inúmeras visitas para confirmar se Roma corria de fato o risco de ser atigida por um terremoto.

A paranoia foi gerada depois que, há vários meses, começou a correr pela internet e outros meios de comunicação uma profecia de Bendandi (Faenza, 1893-1979), segundo a qual um grande terremoto ocorreria em Roma nesta quarta-feira e derrubaria monumentos tão emblemáticos como o Coliseu e a basílica de São Pedro do Vaticano.

Dada a preocupação da população, as autoridades italianas se viram obrigadas a habilitar um número de telefone de informações ao público.

    Leia tudo sobre: itáliaterremotoromamitoprevisãoprofecia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG