Em reunião do G5, Lula distribui camisas da seleção e se vangloria de vitória brasileira

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva aproveitou uma reunião com líderes de outros países emergentes nesta quarta-feira, na Itália, para distribuir camisas da seleção brasileira e vangloriar-se da vitória do Brasil na Copa das Confederações, realizada no mês passado na África do Sul.

BBC Brasil |

AP
Lula presenteia Jacob Zuma

Lula presenteia o presidente da África do Sul, Jacob Zuma

A distribuição das camisas, assinadas por todos os jogadores da seleção campeã da Copa das Confederações, foi feita após uma declaração política conjunta do chamado G5, grupo que reúne Brasil, China, Índia, México e África do Sul.

O G5 participa na quinta e na sexta como convidado da reunião anual de cúpula do G8, o grupo das oito nações mais industrializadas do mundo, que ocorre em Áquila, na Itália.

Lula disse que ainda pretende distribuir mais três camisas durante os encontros na Itália, para o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, para o premiê italiano, Silvio Berlusconi, e para o presidente do Egito, Hosni Mubarak, já que seus países foram adversários "muito duros" do Brasil na Copa.

Segundo Lula, a seleção brasileira se apropriou do lema da campanha de Obama para virar o jogo da final da Copa contra a seleção americana.

"Nós podemos"

"O Obama apareceu na televisão dizendo 'nós podemos, nós podemos'. E quase que a seleção dos Estados Unidos ganha da gente, mas aí quando estava 2 a 0 para eles comecei a dizer 'nós podemos, nós podemos', e a seleção brasileira ganhou", brincou Lula. A partida terminou em 3 a 2 para o Brasil.

Lula começou a distribuição das camisas nesta quarta-feira dizendo ao presidente da África do Sul, Jacob Zuma, que assistiu à semifinal entre as seleções brasileira e sul-africana pela televisão e que viu, também pela televisão, como o colega ficou triste ao ver o Brasil marcar um gol no final do jogo para ganhar de 1 a 0.

Dirigindo-se então ao presidente mexicano, Felipe Calderón, que coordenava a reunião, Lula disse que a seleção do México é sempre uma adversária dura do Brasil.

A terceira camisa foi dada ao premiê indiano, Manmohan Singh. Ao entregar o presente, Lula disse esperar que a Índia, país sem tradição no futebol, tenha um dia uma seleção capaz de disputar de igual para igual com a brasileira.

A última camisa foi entregue ao conselheiro de Estado chinês Dai Bingguo, representante do presidente Hu Jintao, que deixou a cúpula do G8 para voltar à China por causa da violência na província de Xinjiang. Lula disse esperar que um dia a China tenha uma seleção masculina de futebol tão forte quanto sua seleção feminina.

Leia mais sobre Lula

    Leia tudo sobre: futebolg8lula

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG