Em resposta aos EUA, Rússia abandona planos de mísseis na Europa

A Rússia indicou nesta sexta-feira que irá suspender seus planos de posicionar mísseis no enclave de Kaliningrado, território russo que fica entre a Polônia e a Lituânia. A medida é uma resposta ao anúncio do governo dos Estados Unidos, na última quinta-feira, de que os planos para instalar bases americanas na Polônia e na República Tcheca foram cancelados.

BBC Brasil |


Estas bases, que fariam parte de um sistema de defesa antimísseis dos Estados Unidos, eram vistas como uma ameaça pelo governo russo, que planejava estacionar os mísseis em Kaliningrado como retaliação.

O anúncio da suspensão dos planos russos foi feito pelo embaixador do país na Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), Dmitry Rogozin.

"Espero que vocês entendam nossa lógica. Se existirem radares e mísseis na Polônia e na República Tcheca, temos que fazer alguma coisa como resposta militar. Se não existirem radares e mísseis na Polônia e na República Tcheca, então não precisamos dar uma resposta", disse Rogozin.

Aproximação

A decisão russa foi anunciada no mesmo dia em que o secretário-geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen, fez um chamado pela aproximação do bloco com a Rússia, em um discurso em Bruxelas.

Em seu primeiro pronunciamento importante sobre política internacional desde que assumiu o cargo, em agosto, Rasmussen pediu que Estados Unidos, Rússia e Otan estudem a possibilidade de desenvolver um sistema antimísseis conjunto.

"Nós deveríamos explorar o potencial de juntar os sistemas de defesa antimísseis de Rússia, Estados Unidos e Otan quando for apropriado", disse.

Ele também pediu "um novo começo nas relações" entre Rússia e Otan. "Eu gostaria que a Rússia e a Otan fizessem uma revisão conjunta dos desafios de segurança do século 21, para servir de base para nossa futura cooperação".

Rasmussen pediu ainda que Moscou colabore com o bloco em relação às questões do Afeganistão e do Irã.

'Atenta'

As relações entre a Rússia e a Otan chegaram a melhorar após o fim da Guerra Fria, mas ficaram estremecidas após o avanço da aliança sobre países do antigo bloco soviético e depois do conflito entre Rússia e Geórgia, no ano passado.

Também nesta sexta-feira, o primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, elogiou a decisão dos Estados Unidos de cancelar a instalação de bases na Europa oriental, o que classificou como uma medida "correta e corajosa".

O presidente Dmitri Medvedev também afirmou que a medida fará com que a Rússia fique "atenta" para as demandas dos Estados Unidos, mas rejeitou qualquer sugestão de que serão firmados acordos em resposta ao anúncio americano.

Leia também:

Leia mais sobre sistema de defesa antimísseis

    Leia tudo sobre: escudo antimísseiseuaobamarússia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG