Em Paris, Lula diz que Jogos Olímpicos não podem ser só dos ricos

Paris, 7 jul (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje em Paris que a tarefa de receber os Jogos Olímpicos não pode ser monopólio dos países ricos, ao defender a candidatura do Rio de Janeiro.

EFE |

O Rio compete com Madri, Chicago e Tóquio para sediar os Jogos Olímpicos de 2016, decisão que será votada em outubro próximo em Copenhague.

"Não podemos deixar que os Jogos Olímpicos sejam monopólio dos países ricos", declarou Lula em um encontro com a imprensa antes de se reunir com o presidente francês, Nicolas Sarkozy.

O presidente ressaltou que o Brasil é a única das dez maiores economias do mundo que não organizou os Jogos e lembrou que se tornaria também o primeiro país sul-americano da história a sediá-los.

Para Lula, "muitos países europeus" darão seu voto ao Brasil. O presidente lembrou que escreveu uma carta a cada um dos líderes europeus, com quem tentará se reunir para falar do assunto.

Sobre o "efeito Obama", em referência ao papel do presidente americano como promotor da candidatura de Chicago, Lula comentou que o presidente americano está tentando fazer o que ele mesmo e o presidente do Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, faz por Madri.

"Se ele me dá o segundo voto", caso o Rio caia na primeira votação, "eu lhe dou o segundo", assegurou Lula em alusão a Obama.

"O Rio merece a oportunidade de organizar os melhores Jogos Olímpicos da história", concluiu o presidente. EFE jaf/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG