Em mensagem de Natal, o papa expressa preocupação com conflitos no mundo

Cidade do Vaticano, 25 dez (EFE).- O papa Bento XVI expressou hoje sua preocupação com o Oriente Médio, onde o horizonte parece ficar mais obscuro para israelenses e palestinos; com o Zimbábue, a região de Kivu, na República Democrática do Congo (RDC), de Darfur, no Sudão, Somália e pelos locais ainda atingidos pelo terrorismo.

EFE |

O pontífice fez as declarações durante a tradicional mensagem de Natal, pronunciada do balcão central da basílica de São Pedro do Vaticano, diante de dezenas de milhares de pessoas que lotavam a praça em uma manhã fria e cinzenta.

"Que a luz divina de Belém seja divulgada na Terra Santa, onde o horizonte parece voltar a ficar obscuro para israelenses e palestinos, que também se propague no Líbano e no Iraque e em todo o Oriente Médio", afirmou.

O papa pediu que a luz de Belém "faça frutificar os esforços daqueles que não aceitam a lógica perversa do confronto e da violência, e preferem, por outro lado, a via do diálogo e da negociação para resolver as tensões internas de cada país e encontrar soluções".

Em uma mensagem de esperança, Bento XVI também lembrou os habitantes do Zimbábue, afetados durante muito tempo por uma crise política e social, que, "infelizmente, segue se agravando".

O pontífice lembrou também os moradores da "atormentada" região de Kivu, na RDC, de Darfur, no Sudão, e da Somália, "cujas intermináveis tribulações são uma trágica conseqüência da falta de estabilidade e de paz".

O papa acrescentou que a luz de Belém também é aguardada pelas crianças de todos os países em dificuldade e onde a dignidade e os direitos humanos são ignorados, onde as lutas internas dividem grupos e etnias, e destroem a convivência, e onde o terrorismo segue atingindo as pessoas. EFE jl/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG