Em mensagem de fim de ano, Pyongyang diz querer diminuir a tensão com Seul

A tensão aumentou na península coreana após Pyongyang atacar, em 23 de novembro, a ilha de Yeongpyeong

EFE |

A Coreia do Norte sinalizou neste sábado, em sua mensagem de ano, que espera diminuir a tensão com a Coreia do Sul e advertiu que outra guerra na península pode desencadear um "Holocausto nuclear", informou a agência local "Yonhap".

"O confronto entre o norte e o sul deve diminuir o mais breve possível", manifestou um editorial conjunto dos três principais periódicos da Coreia do Norte, "Rodong Sinmun", "Joson Inmingun" e "Chongnyon Jonwi".

A tensão aumentou na península coreana após Pyongyang atacar, em 23 de novembro, a ilha de Yeongpyeong, na fronteira do Mar Amarelo, o que deixou quatro mortos.

Depois do ataque, Seul realizou várias manobras militares perto da fronteira com a Coreia do Norte, no que Pyongyang ameaçou os vizinhos com uma "guerra santa" e o uso do seu "poder dissuasório nuclear" em caso de violação do seu território.

Na mensagem deste sábado, Pyongyang ressalta a necessidade de "fortalecer" seu poder militar e exige que Seul ponha fim a suas manobras militares, mas não faz alusão ao processo de sucessão de Kim Jong-il nem ao eventual fim do distanciamento com os Estados Unidos, informou a "Yonhap".

A mensagem de Ano Novo assinala ainda que a Coreia do Norte, que nos últimos meses deu sinais de ter ampliado seu programa nuclear, procura o diálogo para a "desnuclearização de toda a península coreana".

As negociações para o fim do programa nuclear de Pyongyang, com a participação das duas Coreias, Estados Unidos, Rússia, China e Japão, estão paralisadas desde o fim de 2008 pelo boicote do regime norte-coreano.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG