Em Lourdes, papa diz que amor de Deus é mais forte que ameaça do mal

Lourdes (França), 14 set (EFE).- O papa Bento XVI rezou hoje sua primeira missa no santuário de Lourdes, local que disse ser de serviço fraterno, especialmente pelo acolhimento aos doentes, aos pobres e a todos os que sofrem, e onde passou a mensagem de que o poder do amor é mais forte do que o mal que ameaça os homens.

EFE |

"Em Lourdes, Maria revelou o mistério da universalidade do amor de Deus pelos homens. Ela convida todos os homens, todos os que sofrem em seu coração e seu corpo, a erguerem os olhos para a cruz, para encontrar nela a fonte da vida, a fonte da salvação", afirmou o pontífice no santuário, considerado pelo Vaticano uma "cidadela de vida e esperança".

Diante de mais de 100 mil pessoas, segundo números das autoridades locais, Bento XVI fez uma homilia na qual destacou a figura de Maria, lembrando que, quando apareceu à menina Bernadette Soubirous, em 1858, a Virgem disse: "Eu sou a Imaculada Conceição".

"Assim, Maria revelou a graça extraordinária que recebeu de Deus, a de ser concebida sem pecado", declarou o papa, que acrescentou que Nossa Senhora lembra em Lourdes que a oração, "intensa e humilde, confiante e perseverante, deve ter um papel central na vida cristã".

O pontífice disse ainda que o rosário, "tão querido por Bernadette e pelos peregrinos, concentra a a profundidade da mensagem do Evangelho" e inicia os fiéis "na contemplação do rosto de Cristo".

Em sua exaltação a Maria, o papa também afirmou que Nossa Senhora diz aos homens que "ninguém é indiferente para Deus" e que a fé cristã não é "um fardo", mas uma asa que permite vôos mais altos, até à proteção "nos braços de Deus".

Durante a celebração, Bento XVI invocou Maria para que ajude os casais a descobrirem "a beleza de um amor autêntico e profundo, vivido como dom recíproco e fiel".

A missa, na qual esteve presente a Cruz da Jornada Mundial da Juventude, foi acompanhada por milhares de jovens, muitos dos quais passaram a noite dormindo em barracas montadas sobre a lama que, após a forte chuva de ontem, se formou na pradaria do santuário.

No entanto, o frio e a umidade não desanimaram os jovens, que passaram a noite cantando.

"Queridos jovens, não tenham medo de dizer 'sim' ao chamado do Senhor quando Ele pedir a vocês que o sigam. Só Ele pode realizar os desejos mais profundos de seus corações. São muitos os que vieram a Lourdes para servir esmerada e generosamente aos doentes, imitando assim a Cristo. O ato de servir aos irmãos aumenta o coração e o liberta", disse o papa.

Após reiterar que a mensagem de Maria é de esperança e que o poder do amor é mais forte do que a ameaça do mal, Bento XVI pediu aos jovens que "se recusem a ouvir os que querem" que os cristãos se "encerrem no fatalismo".

Para a Igreja, a reza do rosário é um instrumento para os fiéis católicos invocarem a paz no mundo, afugentarem os males da sociedade e protegerem a família.

Hoje à tarde, Bento XVI se reunirá com bispos franceses. Depois, participará de uma procissão eucarística. EFE JL/wr/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG