Em julgamento, Fujimori se declara culpado de acusação de espionagem

LIMA - O ex-presidente peruano Alberto Fujimori se declarou culpado das acusãções de espionagem telefônica, suborno de congressistas e compra ilegal de meios de comunicação. Fujimori voltou ao banco dos réus nesta segunda-feira, em seu quarto julgamento.

Redação com AFP |

O ex-presidente peruano Alberto Fujimori se declarou culpado das acusãções de espionagem telefônica, suborno de congressistas e compra ilegal de meios de comunicação. Fujimori voltou ao banco dos réus nesta segunda-feira, em seu quarto julgamento.

"Estou conforme", respondeu o ex-presidente quando o tribunal perguntou se aceitava ser autor ou ter participado dos crimes atribuídos a ele.

Uma das vítimas de espionagem telefônica de Fujimori foi o premiado escritor Mario Vargas Llosa, em 1990, quando era candidato presidencial.

A promotoria pede que o ex-presidente seja condenado a oito anos de prisão pelas três acusações e pague uma indenização equivalente a US$ 1,6 milhão ao Estado e US$ 1 milhão aos agravados.

A promotoria também mostrou provas de que Fujimori pagou diversos congressistas para que passassem para o partido do governo e comprou ilegalmente um canal de TV a cabo como parte de uma campanha para controlar a imprensa e se perpetuar no poder.

Fujimori, 71 anos, já havia sido condenado a 25 anos de prisão por violação dos direitos humanos e tem outras duas sentenças por corrupção (com penas de sete anos e meio e seis anos). No Peru, as penas não são cumulativas e prevalece a maior.

Fujimori chegou ao poder em 1990, quando derrotou em eleições democráticas o famoso escritor Mario Vargas Llosa. Dez anos depois, deixou a Presidência abruptamente, em meio a escândalos de corrupção, e se refugiu no Japão. Em 2007, quando estava no Chile, foi extraditado de volta para seu país.

Leia mais sobre Fujimori





    Leia tudo sobre: fujimori

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG