O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, inicia nesta terça-feira uma visita oficial de quatro dias ao Oriente Médio para promover o início de negociações indiretas entre israelenses e palestinos.

De acordo com um anúncio do governo americano, as negociações entre israelenses e palestinos, interrompidas desde dezembro de 2008, deverão ser retomadas de maneira indireta , com a mediação do enviado especial do presidente Barack Obama, George Mitchell.

O vice-presidente Joe Biden, a mais alta autoridade americana a visitar Israel e os Territórios Palestinos desde a eleição do presidente Barack Obama, se encontra na região para tentar dar um impulso à retomada das negociações.

Biden se encontrou nesta terça feira em Jerusalém com o presidente de Israel, Shimon Peres, e com o primeiro ministro, Binyamin Netanyahu.


Joe Biden durante encontro com Benjamin Netanyahu / AFP

Na quarta-feira, o vice-presidente americano deverá ir a Ramallah, na Cisjordânia, para se reunir com o presidente palestino, Mahmoud Abbas, e com o premiê da Autoridade Palestina, Salam Fayad.

Ainda não existe um acordo entre israelenses e palestinos sobre o conteúdo e o formato das negociações indiretas, também chamadas de "conversas de aproximação".

O governo israelense afirma esperar que as negociações indiretas sejam de curta duração e levem à retomada das negociações diretas.

Até agora, o governo israelense não tem se mostrado disposto a discutir as questões mais espinhosas do conflito nas negociações indiretas.

Já a Autoridade Palestina, que obteve o apoio da Liga Árabe para dar uma chance de quatro meses às negociações indiretas, quer abordar, desde o inicio, as questões mais problemáticas do conflito, como o destino de Jerusalém, as fronteiras de um futuro Estado Palestino e o retorno dos refugiados palestinos.

Em suas reuniões na região, o vice-presidente americano tentará obter um acordo entre as partes sobre o conteúdo e o formato das negociações indiretas.

Desconfiança

As negociações começam em um clima de desconfiança por parte dos palestinos, depois da decisão do governo israelense, anunciada na segunda-feira, de ampliar com mais 112 apartamentos o assentamento de Beitar Ilit , na Cisjordânia.

O principal negociador palestino, Saeb Erekat, afirmou que "em cada visita de George Mitchell ao Oriente Médio os israelenses anunciam mais ampliações de assentamentos, causando constrangimento ao presidente Abbas e levantando muitas dúvidas sobre os esforços americanos pela retomada do processo de paz".

Segundo o governo israelense, a ampliação do assentamento foi determinada "por razões de segurança, ainda durante o governo de Ehud Olmert".

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, afirmou esperar que "as conversas de aproximação levem rapidamente à retomada das negociações diretas pelas quais será possível realmente avançar com a paz".

Leia mais sobre Oriente Médio

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.