Em gravação, Bin Laden exige que Europa retire tropas do Afeganistão

CAIRO - O líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, exigiu hoje que a Europa retire suas tropas do Afeganistão.

Redação com agências internacionais |

"A justiça exige que vocês acabem com essa opressão e retirem suas tropas de Afeganistão", afirmou Bin Laden em uma gravação colocada em um site usado pelo grupo.

Em uma gravação similar, em 14 de setembro Bin Laden, exigiu que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, usasse todo o seu poder para deter os conflitos no Iraque e no Afeganistão.

Berlim em alerta

O governo alemão mantém o mesmo nível de alerta, com presença policial reforçada em aeroportos, estações e outros lugares públicos, após a divulgação de outro vídeo do suposto membro da Al-Qaeda Bekkay Harrach, que dias atrás ameaçou a Alemanha com atentados terroristas durante as eleições no domingo.

No novo vídeo, o quinto da Al-Qaeda nos últimos 14 dias dirigido à Alemanha, há uma chamada de Harrach aos muçulmanos germânicos para unirem-se à Jihad islâmica, informou nesta sexta-feira um porta-voz de Interior.

A finalidade da mensagem é recrutar novos militantes e não inclui novas ameaças diretas à Alemanha, mas sim em relação às eleições gerais, acrescentou a fonte. Os serviços de segurança da Alemanha vão avaliar com mais detalhes o conteúdo da mensagem.

Com duração de 39 minutos, o vídeo é o terceiro em que Harrach aparece - após os divulgados em 18 e em 20 de setembro -, depois de outros dois com alusões diretas à Alemanha e exigindo a retirada do contingente do Afeganistão.

As duas primeiras mensagens de Harrach, um germânico-marroquino de 32 anos, geraram reações no Departamento de Estado americano e nas autoridades britânicas, pedindo aos cidadãos da Alemanha que adotem precaução.

Berlim, contudo, insiste em considerar as ameaças como abstratas, tanto que na última quinta-feira o ministro de Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, afirmou que não havia razão para emitir uma advertência específica aos estrangeiros que estiverem no país.

No vídeo de 18 de setembro, Harrach ameaçava à Alemanha "com um amargo despertar" se o overno não retirar os soldados germânicos do Afeganistão. As tropas alemãs formam o terceiro contingente no país, com mais de 4,5 mil militares, depois dos Estados Unidos e do Reino Unido.

O suposto terrorista de origem germânica é procurado na Alemanha por envolvimento com a Al-Qaeda. Segundo as autoridades de segurança, ele residiu por um tempo em Bonn e, posteriormente, teria seguido para um campo de treinamento no Paquistão.

Os serviços de segurança alemães consideram que Harrach figure no terceiro escalão dentro da hierarquia de comandantes da Al-Qaeda.

"Se o povo decidir pela continuidade da guerra, terá ditado a própria sentença. As eleições gerais são a única oportunidade do povo dar forma à política do país", afirmava Harrach, no vídeo.

Além disso, Harrach aconselhava os muçulmanos residentes na Alemanha a manterem-se afastados dos espaços públicos pelas próximas duas semanas depois das eleições.

Leia mais sobre Osama bin Laden

    Leia tudo sobre: osama bin laden

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG