Em disputa apertada, Hillary e Obama intensificam ataques

A reta final da campanha para a primária democrata no Estado americano da Pensilvânia tem sido marcada por uma troca de ataques cada vez mais ácidos entre os pré-candidatos Hillary Clinton e Barack Obama. Os eleitores da Pensilvânia vão às urnas nesta terça-feira.

BBC Brasil |

A intensificação dos ataques entre a senadora e o senador se deram paralelamente ao crescimento de Barack Obama nas pesquisas.

Há seis semanas, Hillary, segundo as sondagens, comandava a disputa no Estado por até 20 pontos de vantagem.

Atualmente, a vantagem dela sobre o rival teria caído para 5 ou 6 pontos, de acordo com alguns intitutos de pesquisa ou teria até atingido um empate técnico. Mas o índice de eleitores indecisos no Estado é de quase 10%.

"Terra arrasada"

Em um recente comício, Obama acusou a rival de utilizar uma ''tática de terra arrasada''. Hillary, por sua vez, disse que Obama ''está jogando tudo o que pode contra mim, para ver o que cola''.

A senadora comentou também durante um comício que o rival ''costuma dizer que está tocando uma campanha positiva, mas a sua campanha mostra exatamente o contrário''.

Obama usou de ironia para se referir à rival, em um recente comício, dizendo que ela daria uma presidente melhor do que George W. Bush, mas que ''isso não quer dizer muito''.

A campanha de Obama lançou nos últimos dias dois comerciais contendo ataques à rival. Um deles faz críticas ao programa de saúde da senadora, e outro, afirma que a campanha de Hillary tem recebido dinheiro de lobistas.

A militância de Hillary contra-atacou dizendo que ''ele não soube responder às duras perguntas do debate, então Barack Obama vem fazendo falsas acusações sobre o programa de saúde de Hillary''.

O comercial fez menção a um recente debate televisivo entre os dois pré-candidatos e exibido pela rede ABC, no qual Barack Obama teve de responder a indagações sobre sua suposta ligação com um ex-integrante do grupo extremista de esquerda da década de 1960 The Weathermen e pelo tom de declarações feitas por seu ex-pastor, Jeremiah Wright.

Hillary também tem explorado a uma gafe recente de seu rival - o comentário feito por ele de que o declínio econômico vivido na Pensilvânia vem fazendo com que os moradores do interior do Estado se tornem pessoas amargas, que, por conta de suas frustrações, se voltam para a religião e para as armas.

O tema também foi explorado pelo candidato republicano à Casa Branca, John McCain.

Analistas acreditam que as afirmações de Obama poderão até não afugentar eleitores que já haviam manifestado apoio a ele, mas poderão conter o seu avanço no Estado.

Leia também:

Leia mais sobre eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG