Em Denver, Hillary salvou as aparências e preparou o futuro

DENVER - Durante seu discurso de terça-feira na convenção democrata de Denver, Hillary Clinton mostrou que ainda será preciso contar com ela no futuro, e seu apelo à unidade em torno de Barack Obama não convenceu a todos, segundo a imprensa americana desta quarta-feira.

AFP |

A maior parte da intervenção da ex-primeira-dama "parecia o discurso de posse que ela poderia ter pronunciado" se tivesse vencido as primárias, considerou o Los Angeles Times.

De fato, menos de dois meses depois de sua derrota e alguns dias depois de ter sido preterida por Obama na formação da chapa democrata, Hillary insistiu durante seu discurso nos desafios do futuro.

Defendendo a união em torno de Obama, ela mencionou "um combate para o futuro, um combate que precisamos vencer", o que também pode ser interpretado como a evocação de suas ambições.

"Não parem nunca. Olhem para o futuro", clamou, agradecendo "do fundo do coração às pessoas que me apoiaram". "Vocês nunca recuaram, nunca desistiram. Juntos, fizemos história", exclamou.

Hillary Clinton, 60 anos, venerada por seus partidários e odiada pelos republicanos, parece ter assumido uma nova estatura política durante os 18 meses de uma campanha acirrada, separando-se do duplo mandato de seu marido e reunindo 18 milhões de votos durante as primárias, que quase ganhou.

A promessa de Hillary de trabalhar "na mesma equipe" que Barack Obama para retomar a Casa Branca depois de oito anos de reinado republicano enviou a mensagem de unidade desejada pelos partidários do senador de Illinois.

Porém, ao mesmo tempo, "os conselheiros de Hillary queriam que seu discurso mostrasse a influência que ela ainda tem dentro do Partido Democrata, e que ela possui, mais do que Obama, o poder de orientar seus partidários na direção dele", analisou nesta quarta-feira o New York Times.

"A equipe de Hillary Clinton nem sequer entregou uma cópia do discurso à equipe de Obama antes de ser pronunciado", comentou o jornal. Reeleita em 2006 senadora de Nova York, a ex-primeira-dama deve ocupar este mandato até 2012, ano da próxima eleição presidencial.

"O melhor exemplo da persistência das dissensões no Partido Democrata é o que aconteceu na noite de terça-feira, depois do discurso de Hillary Clinton. Vários democratas influentes deixaram a convenção, muito antes do discurso de Barack Obama", previsto para a noite de quinta-feira em um estádio com capacidade para 75.000 pessoas.

Os republicanos comentaram que durante seu discurso, Hillary não voltou atrás em nenhuma vez no principal argumento utilizado contra Obama durante as primárias: a falta de experiência do senador de Illinois.

"O discurso foi ótimo para ela e para nós, mas não necessariamente para Barack Obama", considerou o republicano Rudolph Giuliani, ex-prefeito de Nova York.

Para Michael Barone, colunista da revista conservadora U.S. News, o discurso da senadora de Nova York "não foi muito bom para Obama, sendo mais apropriado a uma eventual candidatura de Hillary Clinton em 2012".

Leia mais sobre convenção democrata

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG