Em Denver, Hillary pede união democrata

A senadora Hillary Clinton pediu que os democratas se unam, em meio aos preparativos para a abertura da convenção partidária, que tem início nesta segunda-feira, em Denver. A senadora também fez críticas a propagandas exibidas pela campanha do republicano John McCain na qual ele procurou explorar as divergências passadas entre Hillary e Obama, a fim de cooptar potenciais eleitores de Hillary que estão indecisos quanto ao voto em Barack Obama.

BBC Brasil |

Nesta segunda, a senadora, derrotada por Barack Obama em disputadas primárias eleitorais, fez um pronunciamento em Denver em um evento voltado para a comunidade hispânica.

''Quero que aqueles que me apoiaram trabalhem tão duro por Barack Obama quanto vocês trabalharam por mim. Agora é hora de nos unirmos e de darmos o nosso apoio ao próximo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama'', afirmou Hillary.

Durante as primárias, Hillary teve mais que o dobro do número de votos que Obama entre os eleitores hispânicos. Um total de 11,8% dos delegados que participam da convenção democrata são hispânicos.

Acredita-se que o tom do discurso da senadora durante a convenção, marcado para quarta-feira, será semelhante ao do pronunciamento desta segunda.

De acordo com Ramona Martinez, a presidente do Cáucus Hispânico Democrata, era preciso ''ouvir a mensagem dela logo no início da convenção para que possamos ir adiante''.

Ramona Martinez acrescentou: ''Ela é minha líder e mentora e se ela diz que é tocar para frente, então, nós vamos tocar para a frente.''
Troca de afagos
A fim de agradar os correligionários de Hillary, Obama consentiu que a senadora fosse indicada como candidata presidencial democrata durante a convenção, uma medida meramente simbólica, uma vez que o evento democrata visa primordialmente ratificar a candidatura de Obama.

Hillary retribuiu o gesto cordial, com outra medida formal, a de liberar os seus delegados a votar em Obama.

A despeito dos atos de boa vontade de parte a parte, ativistas mais radicais de Hilary prometem realizar protestos nos próximos dias contra a forma pela qual a senadora acabou de fora da disputa, mesmo tendo obtido um total de 18 milhões de votos.

O discurso em defesa da unidade partidária também permeou o encontro entre a senadora e delegados do Estado de Nova York, que ela representa no Senado.

''Nós não estávamos do mesmo lado como democratas, mas nós estamos agora'', afirmou. ''Estamos unidos e estamos juntos e estamos decididos.''
Comerciais
Hillary acrescentou que os comerciais negativos lançados pela campanha de McCain visam dividir os democratas. Um dos anúncios afirma que ela acabou sendo derrotada porque falou a verdade sobre Obama, em relação às críticas à suposta inexperiência do rival.

Em outro, o locutor afirma que Hillary deveria ter sido a escolhida como companheira de chapa de Obama, em vez de Joe Biden.

A senadora brincou com a frase que tradicionalmente acompanha os anúncios políticos nos Estados Unidos, ao dizer: ''Eu sou Hillary Clinton e eu não aprovo essa mensagem.''
Primeiro dia
Entre os destaques do primeiro dia da convenção está o pronunciamento de Michelle Obama, que vai falar sobre o início da trajetória de seu marido, quando ele trabalhou como líder comunitário.

Outro aguardado momento para esta segunda é a provável aparição do veterano senador Edward Kennedy, conhecido como Ted.

Kennedy está sofrendo de câncer cerebral e é um dos mais populares líderes democratas.

Por conta da saúde frágil, incialmente acreditava-se que Kennedy ficaria de fora da cerimônia, sendo exibido um documentário sobre a vida dele, realizado pelo cineasta Ken Burns.

Mas a possibilidade de o senador, que participou de todas as convenções desde 1972, subir ao palco ou mesmo discursar gerou grande expectativa entre os democratas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG