Em declaração, ONU condena por unanimidade lançamento da Coreia do Norte

O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) condenou, nesta segunda-feira, em declaração, o lançamento de um foguete de longo alcance da Coreia do Norte.

Redação com agências internacionais |

A declaração, escrita pelos EUA e definida em reunião no sábado que envolveu os cinco integrantes permanentes do Conselho, mais o Japão, também determina que o Comitê de Sanções da ONU comece a implementar as sanções financeiras e o embargo armamentista estabelecidos na resolução 1.718.

"O Conselho de Segurança condena o lançamento em 5 de abril pela República Democrática Popular da Coreia, que está em contravenção da resolução 1.718, de 2006", disse a declaração.

A declaração também conclama Pyongyang a retornar às negociações multinacionais sobre o fim do seu programa nuclear, e pede que não faça novos lançamentos.

O Japão defendia uma resolução do Conselho que apontasse a violação da resolução, mas China e Rússia, que têm poder de veto no Conselho, diziam não ter certeza sobre o termo.

A China defendia uma declaração "cautelosa e proporcional" por parte do Conselho - ou seja, uma declaração formal a respeito da posição do órgão. As declarações precisam ser aprovadas por unanimidade, mas em geral são consideradas mais fracas que as resoluções.

Alguns analistas questionam se as declarações oficiais do Conselho são de cumprimento obrigatório, mas as delegações de França e Grã-Bretanha insistem que todas as decisões do Conselho de Segurança são de cumprimento obrigatório, independentemente da forma.

Analistas dizem que a aprovação da declaração do Conselho tem um caráter mais simbólico, pois dificilmente resultará numa implementação mais rígida das sanções.

Temor

A Coreia do Norte afirma que o objetivo do lançamento do foguete foi colocar um satélite em órbita, como parte de seu programa espacial pacífico. Mas países vizinhos acusam o isolado país de estar testando mísseis de longio alcance. Tais testes seria proibidos por uma resolução da ONU que proíbe a Coreia do Norte de testar misseis.

Segundo o correspondente da BBC na Coréia do Sul John Sudworth, o lançamento esta sendo usado como um exemplo de sucesso pela propaganda norte-coreana.

De acordo com Sudworth, a maior preocupação dos americanos é que o lançamento seja um teste para o míssil Taepodong-2. Uma tentativa de lançar o míssil em julho de 2006 fracassou.

Se a tecnologia do míssel se mostrar bem-sucedida, os Estados Unidos estariam ao alcance dos mísseis norte-coreanos.

(*Com informações da BBC Brasil e a da AFP)

Leia também:

* Com Reuters, EFE e AFP

    Leia tudo sobre: coreia do nortecoréia do norte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG