amigo de Obama - Mundo - iG" /

Em cúpula, Chávez diz querer ser amigo de Obama

Os presidentes dos Estados Unidos, Barack Obama, e da Venezuela, Hugo Chávez, trocaram um breve cumprimento nesta sexta-feira, pouco antes da abertura da sessão inaugural da 5ª Cúpula das Américas, em Trinidad e Tobago. Em um ato que o governo venezuelano está classificando como uma saudação histórica, os dois líderes se cumprimentaram e Chávez afirmou querer se tornar amigo de Obama.

BBC Brasil |

AP
Obama e Chávez se encontram

Obama e Chávez se encontram em Trinidad e Tobago

"Com esta mesma mão, há oito anos, eu cumprimentei (o ex-presidente norte-americano George W.) Bush. Quero ser seu amigo", disse Chávez a Obama, segundo a página de internet do Ministério das Comunicações da Venezuela.

Ainda segundo o governo venezuelano, Obama teria agradecido a saudação.

As relações entre a Venezuela e os Estados Unidos foram bastante tensas durante os oito anos do governo de George W. Bush.

Chávez costumava fazer duras críticas às políticas do ex-presidente dos Estados Unidos e, durante a 61 Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), em 2006, chegou a chamá-lo de "diabo".

Expectativa

Há uma grande expectativa a respeito da atuação de Obama durante a Cúpula das Américas, já que este é seu primeiro encontro oficial com a maior parte dos líderes da região.

Analistas e políticos esperam que Obama sinalize, durante a cúpula, mudanças em relação à diplomacia norte-americana para a América Latina.

Estas expectativas aumentaram ainda mais com fato de a Casa Branca ter anunciado, apenas alguns dias antes do encontro, o relaxamento de algumas restrições a viagens e envio de remessas a Cuba que haviam sido implementadas durante do governo Bush.

Críticas

Mesmo assim, antes mesmo do início da reunião em Trinidad e Tobago, Chávez anunciou que "vetaria" a declaração final da Cúpula, que termina no próximo domingo.

Entre as principais críticas de Chávez está o fato de Cuba não estar representada na Cúpula das Américas. A ilha caribenha foi suspensa da Organização dos Estados Americanos (OEA) em 1962.

Também nesta sexta-feira, os líderes da Alba (Alternativa Bolivariana para as Américas), um bloco formado por países latino-americanos com governos de tendência esquerdista - entre os quais estão Venezuela e Cuba - divulgaram um documento onde classificam a declaração final da Cúpula das Américas como "inaceitável".

Segundo os países da Alba, o rascunho da declaração final - que já foi divulgado - "exclui injustificadamente" o debate sobre o fim do bloqueio americano a Cuba e "não dá respostas" à crise econômica internacional.


Leia mais sobre Cúpula das Américas

    Leia tudo sobre: cúpula das américas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG