Em Brasília, político cubano deseja que libertação de reféns contribua à paz

Brasília, 2 jul (EFE).- O presidente da Assembléia Nacional de Cuba, Ricardo Alarcón, disse hoje em Brasília que deseja que a libertação de Ingrid Betancourt e outros 14 reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) contribua para a paz na Colômbia e não para um agravamento do conflito.

EFE |

Em declarações à imprensa após um encontro com o presidente do Luiz Inácio Lula da Silva, Alarcón assegurou que "tanto Brasil, como Cuba e o mundo inteiro, desejavam durante muito tempo a liberdade" de todas as pessoas seqüestradas pelos guerrilheiros colombianos.

Alarcón revelou que se inteirou da notícia justo antes de começar uma reunião com Lula no Palácio do Planalto.

A "Operação Xeque", iniciada pelo Exército colombiano, conseguiu resgatar, além de Betancourt, os americanos Thomas Howes, Keith Stansell e Marc Gonsalves, assim como onze policiais e militares.

EFE mp/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG