Em biografia, ex-chefe de polícia elogia agentes que atiraram em Jean Charles

O ex-comissário da polícia londrina na época da morte do brasileiro Jean Charles, Ian Blair, foi acusado de tentar reescrever a história do incidente, em uma autobiografia que está no prelo. Ian Blair, que no ano passado renunciou ao cargo de chefe da Scotland Yard, elogia os dois policiais que atiraram em Jean Charles em julho de 2005, dizendo que, se o brasileiro fosse - como eles pensavam - um terrorista, mereceriam uma medalha de honra.

BBC Brasil |

A porta-voz da família de Jean Charles disse que o ex-comissário está tentando "reescrever a história" e que tentar recontar os fatos é um "insulto".

Trechos da biografia, intitulada "Policing Controversy" - algo como "Controvérsia Policial", em tradução livre - foram publicados no jornal dominical "The Mail on Sunday".

Em suas memórias, Ian Blair diz que Jean Charles foi morto por "uma combinação terrível de circunstâncias", duas semanas após ataques extremistas que deixaram mais de 50 mortos em Londres, em julho de 2005.

"Tendo em vista o que eles achavam que estavam enfrentando, Charlie 2 e Charlie 12 (nomes fictícios dados aos policiais que atiraram no brasileiro) deveriam ter cada um recebido uma medalha", escreveu.

"Se fosse um homem-bomba e eles não tivessem atirado, e o trem tivesse explodido, se não estivessem mortos, eles teriam enfrentado uma investigação por homicídio culposo."
A morte de Jean Charles de Menezes, que trabalhava como eletricista em Londres, ocorreu em um momento tenso, quando a polícia buscava evitar novos atentados contra a cidade.

O brasileiro foi confundido com um terrorista e morto com sete tiros no dia 22 de julho, pouco depois de embarcar no metrô na estação de Stockwell, no sul de Londres.

Para a coordenadora da organização Justice4Jean, Yasmin Khan, os trechos que aparecem na imprensa enfatizam "o relacionamento evasivo que Ian Blair sempre teve com a verdade".

"Parece que eles está tentando reescrever a história", afirmou ela ao jornal "The Independent".

Reputação
Até hoje, nenhum policial foi responsabilizado pela morte de Jean Charles. A única condenação foi dada à polícia londrina como um todo, por colocar em risco a segurança dos cidadãos durante a operação.

No início deste mês, a comissão independente da polícia que investiga o caso manteve sua decisão de não destacar nenhum policial pelo erro, rejeitando um pedido de revisão do caso feito pela família.

O caso gerou uma forte pressão pela renúncia de Blair, que comandava a polícia na época. Ele acabou renunciando em dezembro do ano passado.

Para Khan, a família e simpatizantes de Jean Charles estão "chocados com o fato de Ian Blair ainda tentar ressuscitar algum tipo de reputação".

"É um insulto trazer tudo à tona novamente", afirmou, ao "Independent".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG