Em Berlim, ONG pede fim de desmatamento no Brasil

A organização ambientalista Greenpeace protestou nesta segunda-feira, em frente à embaixada brasileira em Berlim, contra o desmatamento na Amazônia. Ativistas do Greenpeace pedem o fim da exploração da floresta até o ano de 2015.

BBC Brasil |

Os ambientalistas entregaram uma nota à embaixada em que exigem que o governo do Brasil pare o desmatamento na Amazônia até o ano 2015.

Se isso não ocorrer, a desertificação de uma grande parte da Amazônia será inevitável, diz a organização não-governamental.

"O problema no Brasil não é a falta de legislação ambiental, mas sim a falta de controle para que a lei seja cumprida", disse Corinna Hoelzel, especialista em florestas tropicais do Greenpeace alemão, à BBC Brasil.

Os ativistas foram recebidos pelo embaixador brasileiro na Alemanha, Luiz Felipe de Seixas Corrêa, e expuseram seus argumentos em uma conversa que foi caracterizada como "amigável".

O diplomata deixou claro que o governo brasileiro já está tomando "providências enérgicas" para evitar o desmatamento, mas não quis comentar as metas propostas pelo Greenpeace.

'Maior prioridade'
Hoelzel entregou ao embaixador brasileiro a nota em que exige "maior prioridade" à luta contra o desmatamento.

"Os países industrializados também têm que assumir a responsabilidade pela proteção das florestas", disse a porta-voz da Greenpeace.

Por isso a organização também exige que a chanceler alemã, Angela Merkel, crie um programa global para financiar a proteção da flora e fauna de florestas tropicais.

Essa iniciativa deveria envolver todos os países do G8, o grupo das oito nações industrializadas. Cada país deveria contribuir com dois bilhões de euros para salvar as florestas, dizem os ambientalistas.

Os ativistas ecológicos apresentaram um tronco de árvore que foi vítima da exploração florestal na Amazônia e também já foi mostrado em várias cidades brasileiras.

O tronco chamuscado que pesa dez toneladas foi trabalhado pelo artista plástico Siron Franco, que instalou monitores mostrando cenas da Amazônia.

Campanha
Berlim é a primeira etapa européia da campanha do Greenpeace, que no mês que vem protestará na cidade alemã de Bonn durante a conferência da ONU para a proteção da biodiversidade.

Segundo os ativistas, o Brasil e a Alemanha terão um papel chave na conferência, que vai reunir especialistas de todo o mundo.

O Greenpeace diz que a cada minuto cerca de cinco hectares de floresta são destruídos na Amazônia.

Cada hectare queimado libera entre 500 e 1,1 mil toneladas de gás carbônico, que é considerado um dos principais culpados pelo aquecimento global.

    Leia tudo sobre: aquecimento globaldesmatamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG